Data: 08/03/2010 / Fonte: R7

Rio de Janeiro – O Rio de Janeiro registrou nove vezes mais mortes em decorrência das chuvas nos primeiros três meses deste ano em relação a mesmo período de 2009. Segundo dados da Defesa Civil do Estado coletados junto aos órgãos municipais, no ano passado foram registradas seis mortes. Neste ano, até a manhã desta segunda-feira, 8, o número já é de 60 mortos, um aumento de 900%.

Somente no último sábado, 6, a chuva que atingiu a cidade -média de 70,5 milímetros- representou 60%do previsto para todo o mês de março. O órgão também afirma que a quantidade de chuva é a maior registrada na cidade em 16 anos.

Em 2009, ocorreram mortes em São Francisco do Itabapoama e em Petrópolis (2) – todas provocadas por deslizamentos de terra. Em 2010, o aumento do número de mortes se deve em maior parte à tragédia ocorrida em Angra dos Reis em 1º de janeiro. Na ocasião, deslizamentos de terra atingiram imóveis no morro da Carioca, em Angra, e em Ilha Grande, matando 53 pessoas.

As outras mortes aconteceram em Barra Mansa (1), Niterói (2) e na cidade do Rio de Janeiro (4). Em 9 de fevereiro passado, uma pessoas foi vítima de uma enchente rápida. No último sábado, 6, foram registradas quatro mortes na capital em decorrência de deslizamentos e, no domingo, 7, mais duas mortes ocorreram em Niterói, também por soterramento. De acordo com a Defesa Civil, todas as pessoas mortas do fim de semana viviam em áreas de risco.

A Coordenação da Defesa Civil do Estado também informou que, até a manhã desta segunda-feira, 8, 3.048 pessoas continuavam em abrigos em função das chuvas. Desse total, 3.015 estão desalojadas e 33 desabrigadas.

Caos

A chuva que atingiu o Rio no último sábado, 6, deixou a cidade em situação caótica. Todas as regiões, de acordo com órgãos da prefeitura, registraram alagamentos. Devido à queda de energia, muitos semáforos nas zonas norte e sul não funcionaram e o trânsito, que já estava ruim, piorou. Motoristas ficaram isolados no túnel Rebouças, que liga a zona norte à região sul, por causa de bolsões d`água que formaram nas pistas.

O Alerta Rio (órgão de monitoramento meteorológico da prefeitura) chegou a emitir um alerta sobre a possibilidade de deslizamento de terra em várias partes da capital. A linha 2 do Metrô (Pavuna-Botafogo) ficou parada por cerca de 30 minutos por causa da queda de uma árvore nos trilhos em São Cristóvão, na zona norte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui