Corpo de Bombeiros Voluntários de Presidente Getúlio / Divulgação

Por Caroline Borges e Valéria Martins, G1 SC

Os bombeiros encontraram a última vítima que estava desaparecida em Presidente Getúlio, no Vale do Itajaí, após as enxurradas na semana passada. O corpo foi localizado na manhã desta terça-feira (22) pouco antes das 9h, segundo o Corpo de Bombeiros Voluntários da cidade, e as buscas foram encerradas.

Com a localização da vítima, são 21 pessoas que morreram em decorrências das enxurradas no Vale do Itajaí. Presidente Getúlio registrou 18 mortes. Entre as vítimas há uma criança, jovens e idosos. Em Rio do Sul, dois moradores morreram e em Ibirama, o corpo de outra pessoa foi localizado. As duas cidades também foram atingidas pelas fortes chuvas entre a noite de quarta-feira (16) e quinta-feira (17).

Segundo o Instituto Geral de Perícias, a vítima localizada nesta terça-feira é Walter Kloth, de 87 anos. O IGP divulgou os nomes de 20 a 21 vítimas.

Cerca de 100 bombeiros entre voluntários e militares e cinco cães estavam envolvidos nos trabalhos de buscas na última parte do bairro Ribeirão Revólver, próximo ao Centro. Uma máquina da prefeitura também estava sendo usada por causa da quantidade de materiais, como pedras e galhos, no local.

As equipes dos bombeiros de outras cidades seguem na cidade auxiliando no resgate de animais e com ajuda humanitária aos moradores e limpeza da cidade.

Até a noite de segunda-feira (21), outras 20 mortes tinham sido confirmadas, sendo que os corpos de três moradores de Presidente Getúlio foram encontrados na tarde de segunda.

Duas das vítimas localizadas na segunda foram sepultados ainda na madrugada desta terça e sem velório para os familiares devido ao avançado estado de decomposição, segundo a funerária de Presidente Getúlio.

Uma delas, um adolescente de 17 anos, e outra, uma mulher de 66 anos. Mara Rovena Zink foi sepultada em Ibirama.

Já o jovem de 17 anos, Mateus Wiese, foi sepultado no cemitério evangélico no bairro Niterói, em Presidente Getúlio.

Horas depois, por volta de 8h30 desta segunda, a mãe dele, Adriana Suchara Wiese, de 52 anos, também localizada na segunda, foi sepultada no mesmo local. O corpo do marido de Adriana foi um dos localizados ainda na quinta-feira.

O Corpo de Bombeiros Voluntários de Getúlio Vargas monitorou até segunda-feira (21) ao menos quatro lagoas em Presidente Getúlio. Eles avaliavam se era necessário drenagem nesses locais. Na última semana, a enxurrada rompeu vários rios e lagoas que existem na cidade e isso contribuiu para que casas fossem arrastadas.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários da cidade, Alex de Lima, 14 lagoas tiveram problemas como rompimento ou transbordamento de água durante o temporal na semana passada. Alguns locais chegaram a ser isolados e as famílias próximas orientadas a deixar os locais. “Foi feita as avaliações e, em locais que existia muito risco, a gente orientou que essas famílias tivessem um local de segurança. Essa é uma região que tem bastante lagoas e a maioria delas rompeu e elas vieram pelos morros atingindo algumas residências. Então, esse foi um dos efeitos” disse.

Já outras quatro lagoas foram monitoras até a tarde de segunda-feira, quando os bombeiros constataram que não havia mais risco de rompimento.

Em relatório divulgado na segunda, a Defesa Civil informou que o Batalhão de Operações Aéreas continua apoiando, por meio do helicóptero Arcanjo 3, as buscas e transportando equipes para as áreas atingidas. Houve um sobrevoo sobre a região com Geólogos da Universidade Federal do Paraná (UFPR) para a identificação de zonas de risco.

Muitos donativos estão sendo recebidos pelos bombeiros voluntários para encaminhar as doações aos moradores. Ao menos 500 famílias se cadastraram para receber materiais.

Segundo a Defesa Civil, há 147 desabrigados e oito pessoas desabrigadas em Presidente Getúlio. Em Ibirama são 92 desalojados e quatro e desabrigados. Em Rio do Sul há 21 desabrigados. Em Lontras são 80 desalojados e em Siderópolis há três desalojados.

Ao menos 25 cidades foram atingidas nos últimos seis dias por conta dos fenômenos climáticos. Além da forte chuva entre quarta e quinta, teve vento forte no Sul do estado no sábado e chuva no Oeste no domingo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui