Crédito: Ciopaer/Divulgação

Fonte: G1

Do dia 1º de janeiro até o último sábado (29), o Tocantins contabilizou 1.051 focos de incêndio. O número é alto e já supera os dados registrados no mesmo período do ano passado: 884. De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o aumento é de 18%.

A quantidade de incêndios também coloca o estado entre os primeiros no ranking nacional. Veja:

Crédito: Luiz Henrique Machado/Governo do Tocantins
  1. Mato Grosso – 3.260 focos
  2. Bahia – 1.443 focos
  3. Tocantins – 1.051 focos
  4. Maranhão – 927 focos
  5. Minas Gerais – 887 focos

No último sábado (29), uma moradora da capital, que trafegava pela TO-010, rodovia que liga Lajeado a capital, fez um vídeo para mostrar uma queimada na Serra do Lajeado. “Essa serra é em Lajeado, sentido a Palmas, como podemos visualizar, já começaram os índices de queimadas”, diz ela nas imagens.

Em outro momento do vídeo, enquanto vários veículos trafegam pela pista, é possível ver gado solto. A palmense diz que tinha cavalos e bois na via. Ela acredita que os animais estavam fugindo do fogo.

O Corpo de Bombeiros informou ao G1 que não atendeu a essa ocorrência.

Focos de queimadas aumentam ainda mais durante o período de estiagem, principalmente, nos meses de agosto e setembro. Nesse período, a temperatura ultrapassa os 40ºC, a umidade cai e o vento fica ainda mais forte. Todos esses fatores funcionam como combustível para as chamas.

No ano passado, a Serra do Lajeado queimou por vários dias seguidos. Equipes dos Bombeiros, Defesa Civil e um helicóptero ajudaram no combate. Na época, militares disseram que os fortes ventos dificultaram o controle das chamas e ajudaram a espalhar o fogo.

Neste ano, o tempo seco pode ter chegado mais seco, o que acende o alerta para o risco de incêndios e outros problemas ambientais, como a redução nos níveis dos rios, principalmente a bacia do rio Formoso.

A Defesa Civil já iniciou o treinamento de brigadistas em todo o estado. “Uma das principais ações é capacitação de brigadistas em mais de 90 municípios de norte a sul do estado. Isso representa um número de mais de 1.100 brigadistas que vão estar em ação na prevenção e no combate a incêndios florestais”, argumentou o diretor executivo da Defesa Civil Estadual, major Matos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui