Crédito: Governo do Estado de São Paulo

Por Bruna Klassmann/Jornalista da Revista Emergência

O estado de São Paulo registrou o primeiro caso no Brasil de morte de pessoa infectada pelo novo coronavírus (Covid-19), segundo informou o governo estadual nesta terça-feira (17). O homem tinha 62 anos e estava internado em um hospital particular. Ele morava na cidade de São Paulo e tinha histórico de diabetes e hipertensão, além de hiperplasia prostática — um aumento benigno da próstata que não é uma doença, mas uma condição comum em homens mais velhos que pode causar infecções urinárias. Além deste caso, quatro óbitos estão sendo investigados em São Paulo por suspeita de infecção pelo novo coronavírus, Covid-19.

De acordo com a Secretária Estadual de Saúde, até a tarde de hoje, dia 17, o estado de São Paulo tinha 162 casos confirmados de Covid-19, sendo o estado com mais casos confirmados no país. Em todo o Brasil são 290 casos confirmados, de acordo com o boletim mais recente do Ministério da Saúde, desta terça-feira.

Casos confirmados do novo coronavírus no Brasil:

Estado Secretarias da saúde Ministério da Saúde
AC 3 0
AL 1 1
AP 0 0
AM 1 1
BA 13 3
CE 9 5
DF 19 21
ES 8 1
GO 9 6
MA 0 0
MT 0 0
MS 4 4
MG 6 7
PA 0 0
PB 0 0
PR 6 6
PE 18 16
PI 0 0
RJ 31 33
RN 1 1
RS 11 10
RO 0 0
RR 0 0
SC 7 7
SP 162 164
SE 5 4
TO 0 0
Total 314 290

Na tarde de hoje, dia 17, ocorreu uma coletiva de imprensa com mais informações sobre o enfrentando do Coronavírus no Estado:

Posted by Governo do Estado de São Paulo on Tuesday, March 17, 2020

PLANOS EM SP

Ainda no final de fevereiro, quando ocorreu a confirmação do primeiro caso do país, na capital paulista, o Governo do Estado de São Paulo criou um centro de contingência do Estado para monitorar e coordenar ações contra a propagação do novo coronavírus em São Paulo. Desde então, o Estado vem criando novas alternativas para combater o vírus.

No dia 13 de março, foi publicado um decreto sobre as medidas temporárias e emergenciais adotadas no âmbito da Administração Pública direta e indireta, além de recomendações ao setor privado estadual. Já, no dia 16, foi publicado um novo decreto com as medidas adicionais, de caráter temporário e emergencial, de prevenção de contágio pelo novo coronavírus e outras providências.

Com este novo decreto, o Governo do Estado de São Paulo anunciou uma série de novas medidas para intensificar o enfrentamento ao novo coronavírus (Covid-19). Entre elas, ficou definido que, a partir de hoje, dia 17 de março, todos os funcionários públicos estaduais com mais de 60 anos, excetuando os que trabalham nas áreas de segurança pública e saúde, deverão trabalhar de casa. A outra medida é o fechamento, também a partir de hoje, de museus, bibliotecas, teatros e centros culturais do Estado de São Paulo por até 30 dias.

Além disto, também foi recomendado para o setor privado de entretenimento (teatros, cinemas e casas de espetáculo, entre outros) que mantenham os estabelecimentos fechados por até 30 dias. Por fim, foi definido que todos os 153 Centros de Convivência do Idoso ficarão fechados por 60 dias.

Além do estado, o município de São Paulo também decretou estado de emergência na cidade. O decreto foi publicado hoje (17) no Diário Oficial. Entre as ações descritas no decreto, a Prefeitura poderá requisitar bens e serviços de pessoas naturais e jurídicas, com pagamento posterior de indenização justa. A medida também autoriza a dispensa de licitação para aquisição de bens e serviços destinados ao enfrentamento da emergência.

A gestão municipal suspendeu o rodízio de veículos na cidade a partir de hoje (17), por tempo indeterminado. Além disto, todos os eventos privados que precisam de alvará estão suspensos na cidade e os equipamentos culturais e de assistência social serão fechados, com exceção dos que acolhem moradores de rua.

OUTROS ESTADOS

Assim como São Paulo, outros estados estão realizando ações para conter a transmissão do Coronavírus (Covid-19) no país. Entre eles, está o estado do Rio de Janeiro, segundo com mais número de casos confirmados no Brasil. Ele que entrou hoje, dia 17, em situação de emergência, a partir da publicação do o decreto nº 46.973 que “reconhece a situação de emergência na saúde pública do estado do Rio de Janeiro em razão do contágio e adota medidas enfrentamento da propagação decorrente do novo coronavírus (Covid-19)”.

O texto define medidas temporárias para prevenir o contágio. Ficam suspensos por 15 dias os eventos e atividades com a presença de público, inclusive feiras e reuniões em salões de festa; atividades em cinema e teatro; visita nas unidades prisionais e transporte de detentos para a realização de audiências; visita a pacientes internados nas redes pública e privada diagnosticados com Covid-19; e as aulas nas redes pública e privada, inclusive de nível superior, com a devida regulamentação em 48 horas pelos secretários de Educação e de Ciência e Tecnologia.

Também foram suspensos por 15 dias o curso dos prazos de processos administrativos e a circulação de linhas de ônibus interestaduais com origem em estados que estejam com o contágio comunitário do vírus confirmado ou com a situação de emergência decretada.

O decreto traz como recomendação que ocorra a restrição por 15 dias do funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e congêneres a 30% da capacidade, mantendo o serviço de entrega e de retirada; os que ficam no interior de hotéis e pousadas devem atender apenas os hóspedes; academias e centros de ginástica devem ser fechados, assim como os shoppings centers. Estão excluídos das recomendações os supermercados, farmácias e serviços de saúde que funcionam dentro dos shoppings. Os estabelecimentos de alimentação dos shoppings podem funcionar, mas devem reduzir em 30% o horário de atendimento.

Ainda como recomendação, o decreto pede que a população deixe de frequentar praias, lagoas, rios e piscinas públicas e que seja restrita a operação aeroportuária e a atracação de navios de cruzeiro com origem em estados ou países onde há confirmação de coronavírus.

Além de São Paulo e Rio de Janeiro, os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Ceará, Pernambuco, entre outros, que possuem poucos casos confirmados, conforme o último balanço do Ministério da Saúde, já manifestaram as suas ações de contingenciamento do Coronavírus (Covid-2019).