Crédito: Divulgação/CBMSC

Fonte: CBMSC

O ano de 2020 é marcado pela estiagem no estado de Santa Catarina e dentre os diversos problemas relacionados com esta situação, se agravam os incêndios em vegetação, que além do desequilíbrio para a natureza, também requerem grandes esforços e quantidades de água para combate.

Entre os dias 01 de janeiro e o 15 de maio de 2020 foram registrados 2.786 incêndios em vegetação, enquanto no mesmo período em 2019 foram 684, ou seja, um aumento de 407,31% nas ocorrências deste tipo.

Uma das grandes causas dos incêndios florestais é a ação humana, seja colocando fogo diretamente em regiões de mata, como em rejeitos, para limpeza de terrenos ou ainda no descarte de bitucas de cigarro e vidros que podem ter o efeito de lupa, em contato com o sol, iniciando uma chama na vegetação seca.

Perda do controle

Os grandes incêndios normalmente possuem algo em comum: as pessoas que iniciam as queimadas informam que iriam queimar uma pequena parte e perderam o controle da situação. Além do risco de um grande incêndio também existe o risco de queimaduras e até óbitos.

Na terça-feira, 19, um senhor de 74 anos, estava realizando a limpeza de um terreno, em Biguaçu, quando acabou tomado pelas chamas e morreu no local. O intuito da queimada era limpar a área dentro do condomínio.

Cuidados que devem ser tomados

– Não inicie queimadas, principalmente próximo a áreas de vegetação;
– não queime lixo, terrenos ou pastagens;
– não jogue bitucas de cigarro na mata, nas ruas ou em beira de estradas;
– não deixe garrafas de vidro em áreas de vegetação (o sol faz o efeito lupa e pode iniciar um incêndio);
– ao fazer trilhas evite acender fogueiras, fogareiros e demais opções que possam propagar fogo na vegetação.

E não esqueça: incêndio florestal é crime!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui