Data: 28/10/2014 / Fonte: G1

Espírito Santo – Moradores de algumas áreas da Grande Vitória estão em estado de alerta devido ao volume de chuva que caiu nos últimos dias no estado. De acordo com a Defesa Civil Estadual, pelo menos 35 pontos correm risco de deslizamento e estão sob observação. Cerca de 30 famílias já precisaram sair de suas casas em Vitória e Vila Velha.

Até o final da tarde desta segunda-feira (27), o volume de chuva acumulado em Vitória, durante 24 horas, era de 78 milímetros. Em Vila Velha, 82 milímetros. Nos municípios de Viana, Cariacica e Serra, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) registrou 42, 77 e 86, respectivamente.

Para o meteorologista do instituto, Ivaniel Fôro Maia, a preocupação é com o solo encharcado. “A terra está fragilizada com a quantidade de chuva que caiu em pouco tempo e, por isso, temos muitos pontos com risco de deslizamento”, afirmou.

Em Gurigica, Vitória, um deslizamento de terra provocou a interdição de três residências, e as famílias precisaram ser abrigadas em casas de parentes. O mesmo aconteceu com uma família do Morro do Quadro. Ao todo, 25 bairros da Capital possuem locais onde há riscos de deslizamento, segundo o Incaper. Também em Vitória, um muro desabou no bairro Santo Antônio, mas ninguém ficou ferido.

Em Vila Velha, os bairros Alvorada e Alecrim estão sob alerta da prefeitura. Em Dom João Batista, fragmentos de rocha ameaçam rolar sobre casas na Rua Beira-Mar. Já em 23 de Maio, uma encosta pode desmoronar na Rua Ayrton Senna. Na Serra, Jardim Carapina, Jardim tropical, Nova Almeida e José de Anchieta são bairros onde o risco de deslizamento está sendo monitorado, segundo a Defesa Civil local.

Nos últimos dois meses, 16 famílias já haviam sido retiradas de suas casas no bairro Alvorada, devido a riscos de deslizamento de terra. Os desalojados também recebem aluguel social, segundo a Prefeitura de Vila Velha. No bairro Alecrim, outras três famílias serão orientadas pela Defesa Civil a deixarem suas casas, segundo coronel Paulo César.

*Com colaboração de Patrick Camporez, de A Gazeta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui