Crédito: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Fonte: G1

Mais de 20 integrantes do Corpo de Bombeiros que auxiliaram as atividades nas cidades de Guarujá, Santos e São Vicente foram homenageados nesta quarta-feira (18) pelo governador do Estado de São Paulo João Doria e o secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos. Os homenageados trabalharam no resgate das vítimas atingidas pelas chuvas fortes no início de março, que ocasionaram deslizamentos e deixaram 45 pessoas mortas.

As ações de resgate, salvamentos e identificação das vítimas, começaram no início de março e só foram encerradas nesta terça-feira (17), com a localização do corpo da última vítima.

Segundo o Governo de São Paulo, além do efetivo local, a região também contou com o reforço de integrantes da Escola Superior de Bombeiros (ESB) e do 10º Grupamentos de Bombeiros (GB), 12º GB, 15º GB e 20º GB, situados em Marília, Bauru, Sorocaba e Araçatuba, respectivamente.

Além disso, bombeiros da Capital e da Grande São Paulo também foram enviados diariamente e se juntaram às equipes do litoral. Ao todo, foram homenageados 23 bombeiros, sendo dois que faleceram em serviço. Os 21 bombeiros receberam o diploma de Policial Nota 10. Um operador de máquinas, morador da região, que ajudou no trabalho de salvamento, também recebeu homenagem.

O operador de máquina foi agraciado com a medalha “Audazes Bombeiros”. A honraria foi criada para homenagear as personalidades civis, militares, instituições públicas e privadas que tenham contribuído para a ESB (Escola Superior de Bombeiros) ou prestado relevantes serviços ao Estado de São Paulo, atuando direta ou indiretamente para a elevação do nome do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Cabos Moraes e Batalha

Crédito: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Os dois bombeiros falecidos – cabos Marciel de Souza Batalha e Rogério de Moraes Santos – foram homenageados com a medalha “Ordem do Ipiranga”, que, conforme explica o governo, é a mais elevada honraria do Estado. É conferida aos cidadãos brasileiros e estrangeiros por seus altos méritos e serviços de excepcional relevância prestados ao Estado de São Paulo e seu povo.

Os cabos morreram soterrados tentando salvar vítimas do temporal no Morro do Macaco, enquanto tentavam ajudar mãe e bebê do deslizamento no local. Os dois atuavam na corporação de bombeiros de Guarujá e foram acionadas após as ocorrências no morro. Moradores da região conseguiram retirar Moraes do soterramento, enquanto Batalha permaneceu nos escombros. O corpo dele só foi localizado dias depois.

As duas vítimas que eles tentaram salvar, Thatiana Lopes de Lima Gomes, de 25 anos e o filho, Arthur Rafael de Lima, de 10 meses, também vieram a óbito.

Veja onde ocorreram as mortes:

  • Guarujá: 34 mortes
  • Santos: 8 mortes
  • São Vicente: 3 mortes

Chuva na Baixada Santista

O temporal começou na noite do dia 2 de março e se estendeu durante toda a madrugada do dia 3. Moradores registraram alagamentos, e ruas ficaram intransitáveis em toda a Baixada Santista. Passageiros de um ônibus mostraram o rápido aumento do nível da água no interior do veículo. Diversas linhas de ônibus e itinerários foram comprometidos pelo temporal.

Houve quedas de barreira nas rodovias Anchieta, Cônego Domênico Rangoni, Rio-Santos e Guarujá-Bertioga, que fazem a ligação de cidades da Baixada Santista com outras regiões do Estado de São Paulo. As rodovias precisaram ser interditadas.

Cerca de 170 policiais civis, militares, técnico-científicos e bombeiros atuaram na região. Foram registrados 45 óbitos – todos os corpos já liberados às famílias pelo Instituto Médico Legal (IML). Além disso, 44 vítimas foram resgatadas com vida.