Crédito: Prefeitura de Canelinha/Divulgação

Fonte: G1

Pelos menos duas cidades decretaram situação de emergência após a chuva forte registrada entre a noite de terça (8) e esta quarta-feira (9) em Santa Catarina. Segundo a Defesa Civil estadual, os municípios de Pescaria Brava e Laguna, no Sul do estado, enviaram ao órgão documentos relatando as principais ocorrências.

As prefeituras das cidades de Canelinha, na Grande Florianópolis, e Brusque, no Vale do Itajaí, também informaram que devem decretar emergência por causa dos estragos. Não há registro de feridos.

Segundo a Defesa Civil, ao menos 16 cidades da Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Litoral Norte e Sul tiveram ocorrências, mas a chuva foi registada em mais de 30 cidades.

Crédito: Prefeitura de Camboriú

O número total de desabrigados e desalojados não foi informado, mas só em Canelinha cerca de 146 pessoas estão fora de casa. As prefeituras ainda realizam levantamento dos prejuízos.

A homologação dos pedidos de situação de emergência das cidades está sob análise na Defesa civil.

No município de Laguna, houve registro de deslizamento de terra, desmoronamento de muros, alagamento nas redes de ensino e pontes ficaram danificadas.

Já em Pescaria Brava, a defesa civil informou que foi registrado quedas de muros e alagamentos de residências.

Na Grande Florianópolis, o município de Canelinha, também sinalizou que deve decretar situação de emergência e estuda decretar calamidade pública nos próximos dias.

Foram 287 milímetros de chuva em 24 horas. Segundo a Defesa Estadual, 146 pessoas ficaram desalojadas por conta dos alagamentos em vários bairros.

Até mesmo o Oeste catarinense, que tem sido afetado pela estiagem nos últimos meses, teve ocorrência. Parte do forro do telhado de uma escola estadual no Centro de Chapecó caiu após a caixa de água transbordar por causa do volume da chuva. Ninguém se feriu e as aulas ocorreram normalmente nesta quarta.

Doações

Prefeituras e entidades se uniram para arrecadar doações aos moradores atingidos pelos alagamentos e deslizamentos de terra provocados pela chuva.

Canelinha

Associação empresarial de Canelinha (Acisc) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) está arrecadando água, produtos de limpeza, colchão e roupas para as famílias atingidas.

A prefeitura informou que o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) vai centralizar as demandas de recebimento e de doação dos itens para as famílias impactadas. Já a Secretaria de Assistência Social também está prestando auxílio na arrecadação dos donativos.

Canelinha foi uma das cidades mais afetadas pela chuva na Grande Florianópolis. Segundo a Defesa Estadual, 146 pessoas foram ficaram desalojadas por conta dos alagamentos em vários bairros. Foram registrados também deslizamentos e queda de postes.

Um abrigo municipal com capacidade para 200 pessoas foi aberto na Escola Profª Maria De Lourdes Nicolau Zimmermann. Pelo menos 17 pessoas foram encaminhadas para o abrigo. Os bairros mais atingidos foram o Cobre, Papagaio e a região central da cidade.

Camboriú

Crédito: Prefeitura de Camboriú/Divulgação

A prefeitura informou que as doações poderão ser encaminhadas para o abrigo municipal montado em razão das ocorrências. Colchões, cobertores e travesseiros são os itens que mais precisam, segundo a administração municipal.

De acordo com a prefeitura da cidade, 17 moradores do bairro Santa Regina estão em um abrigo montado no Ginásio Francisco Duarte de Souza. A administração municipal afirma que mais de 200 pessoas foram retiradas de suas casas em razão dos alagamentos.

Brusque

Brusque registrou 22 famílias desalojadas em razão da chuva. De acordo com a prefeitura da cidade, 17 moradores do bairro Santa Regina estão em um abrigo montado no Ginásio Francisco Duarte de Souza. A administração municipal afirma que mais de 200 pessoas foram retiradas de suas casas em razão dos alagamentos.

Laguna

A cidade informou que ainda não possuiu o número de pessoas desabrigadas. As doações podem ser feitas na prefeitura, no setor de Assistência social ou no galpão da Defesa Civil. Centro de atendimento aos desabrigados está sendo realizado no ginásio da Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui