Crédito: Polícia Militar/Divulgação

Fonte: G1

São Paulo – O temporal que provocou estragos no início desta semana no estado de São Paulo deixou quatro pessoas mortas. Os casos foram registrados entre segunda (10) e terça-feira (11), na região de Bauru (SP).

Os bombeiros encontraram os corpos de duas mulheres em Vitoriana, distrito de Botucatu (SP), nesta manhã. As vítimas ainda não foram identificadas, mas a suspeita é de que sejam de duas mulheres que estavam com um homem, todos da mesma família, em um carro arrastado por um rio que transbordou.

Os corpos foram encontrados a 150 metros do veículo e o homem continua desaparecido. Vídeo mostra helicóptero Águia nas buscas pelas vítimas no distrito de Vitoriana.

Outra morte foi registrada na madrugada desta terça-feira, quando um caminhão e um carro caíram em uma cratera que se abriu na Rodovia Leonor Mendes de Barros (SP-333), em Júlio Mesquita (SP). O motorista do carro, que pertence à concessionária que administra a rodovia, foi encontrado morto.

A quarta vítima também foi um motorista que caiu com um caminhão em outra cratera, esta aberta na Rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu. O caminhão com o motorista foi sugado com a força da água para o buraco e desapareceu, sendo encontrado horas depois a mais de 1 quilômetro de distância.

Família de Botucatu

Os bombeiros encontraram na manhã desta terça-feira os corpos de duas mulheres a cerca de 150 metros de onde um carro foi localizado parcialmente submerso no Rio Capivari, próximo a Rodovia Alcides Soares, no distrito de Vitoriana, em Botucatu.

Os corpos foram encontrados por volta das 10h30 e os bombeiros informaram que já acionaram a perícia e o serviço para fazer retirada.

As mulheres ainda não foram identificadas, mas os bombeiros faziam buscas por um casal que estaria no carro que desapareceu depois de ser levado pela enxurrada. Parentes disseram que havia mais uma mulher no veículo.

O casal desaparecido foi identificado como Lourival Ferre e Maria Cristina Infanti Ferre. Segundo parentes do casal, também estava no carro uma irmã de Maria Cristina, Maria Silvia Ferre.

As buscas começaram na segunda-feira após o temporal que atingiu a cidade e foram retomadas nesta manhã. Os bombeiros seguem na buscas pelo homem que também estava no carro.

Crateras na pista

Por causa do grande volume de chuva, duas crateras que se abriram em rodovias do Centro-Oeste Paulista deixaram dois motoristas mortos.

O primeiro caso ocorreu no km 258 da Rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu. Equipes do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da concessionária que administra a rodovia localizaram no fim da tarde de segunda-feira (10) o corpo do motorista Epaminondas Macedo Souza, de 50 anos, e o caminhão. Ele foi encontrado perto do veículo a 1,3 quilômetro da cratera.

O corpo de Epaminondas foi levado para Porto Feliz (SP), cidade onde morava, para velório e enterro.

Já na madrugada desta terça-feira, foi registrada a segunda morte de motorista que caiu com veículo em uma cratera aberta em rodovia. O caso foi registrado na Rodovia Leonor Mendes de Barros (SP-333).

Um caminhão de refrigerantes e um carro da concessionária que administra a rodovia foram “engolidos” pelo buraco, em Júlio Mesquita (SP).

Segundo a Polícia Rodoviária, o caminhão parou próximo do local onde a cratera se abriu, no quilômetro 308, e também cedeu. O motorista conseguiu sair do veículo e não sofreu lesões, segundo a polícia.

Quando a água abaixou, já pela manhã, a polícia e o Corpo de Bombeiros perceberam que um carro também estava no buraco e que havia uma pessoa morta. A vítima foi identificada como Cláudio Goes, funcionário da concessionária Entrevias. A rodovia foi interditada em ambos os sentidos.

O helicóptero Águia, da PM, está auxiliando as buscas na cidade. Segundo a Defesa Civil, choveu 270 milímetros durante toda a segunda e a tempestade causou uma série de transtornos na cidade. O prefeito decretou estado de calamidade.

Morte no ABC Paulista

Além das quatro mortes no Centro Oeste Paulista no início desta semana, um homem morreu em São Bernardo do Campo, na semana passada. Gilvan Pereira de Jesus, 33 anos, desapareceu após ser arrastado pelas chuvas que caíram em São Bernardo do Campo, na tarde de sábado (8). Os bombeiros localizaram o corpo da vítima no domingo (9).

A vítima foi arrastada, com outras três pessoas, em um piscinão na cidade, tendo sido levada para o córrego Saracantan. O corpo foi localizado pelos bombeiros por volta das 6h30 de domingo na Rua dos Vianas, altura do número 100.

Balanço

Ao todo, a Defesa Civil registrou 226 chamados. O Rio Lavapés transbordou, inundou casas às margens, danificou e removeu pontes em seu percurso. Até esta terça-feira, 40 mil pessoas estavam sem fornecimento de água.

Cerca de 20 casas ficaram submersas na Rua Independência e, na Rafael Sampaio, uma ponte foi arrancada pela força da enxurrada. No centro da cidade, dez residências estão interditadas.

Segundo a Defesa Civil, 155 pessoas ficaram desabrigadas e 30 foram abrigadas no ginásio Mario Covas. A companhia de água também trabalha para restabelecer o abastecimento na cidade depois que uma adutora rompeu.

Outras seis pontes caíram: Rua Coronel Fernando Prestes (Centro), Avenida Itália (Garagem Municipal), Rua Amando de Barros (Centro), Rua Prefeito Tonico de Barros (Centro), Estrada Moretto (Acesso a SP-191), e Fazenda Experimental do Lageado (Unesp/FCA).

A Defesa Civil registrou 14 pontos de alagamento, incluindo a região do Terminal Rodoviário e a estrada Alcides Soares. O trânsito já foi liberado nestes pontos.

As aulas também foram suspensas nesta terça-feira (11) em duas escolas (Elda Moscogliato e Raul Torres) e uma creche municipal (Creche da Vila Aparecida).

O Ambulatório de Especialidades do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) retomou os atendimentos nesta terça-feira (11), após suspensão devido à forte chuva que atingiu a cidade na madrugada de segunda. Para reagendar consultas, os pacientes devem ligar no telefone (14) 3811-6412.

O governador de SP em exercício, Rodrigo Garcia, esteve na região para acompanhar de perto os estragos provocados pela chuva. Durante a visita a Botucatu, Garcia falou em ações para reparar os danos provocados, principalmente em relação ao abastecimento de água da população.

“Nós estamos com a equipe trabalhando para o mais rápido possível restabelecer a ligação de água, porque mais de 40 mil pessoas estão sem. O Estado também vai ajudar financeiramente a prefeitura na reconstrução das pontes que caíram e na ligação das rodovias”, garantiu.

Além disso, Garcia lamentou as mortes. Segundo ele, o governador João Doria já autorizou a liberação de recursos para a cidade.

“Infelizmente lamentamos [as mortes], porque o estrago material, de alguma maneira, conseguimos reparar. Então, dividimos nossa tarefa em ações de curtíssimo prazo, como essa da Sabesp, e médio prazo, que são as obras estruturantes para que as vidas voltem ao normal”, explicou.

As pessoas que necessitarem de ajuda podem acionar a Defesa Civil pelo telefone 199. Além disso, o Fundo Social de Solidariedade está recebendo doações, desde roupas, produtos de higiene e limpeza, cobertores, colchões, móveis e eletrodomésticos. Os materiais podem ser levados até o Fundo na Rua General Teles, 1434 – Centro. Mais informações pelo telefone (14) 3811-1524.