Crédito: Governo do Espírito Santo

As chuvas registradas durante o mês de janeiro, causaram mortes e estragos na região sudeste do país. Muitos moradores destas localidades tiveram que deixar suas casas devido aos alagamentos e deslizamentos que ocorreram devido ao grande volume de água. Os casos começaram logo no início do mês, quando diferentes regiões dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais foram atingidos por fortes chuvas. Mas, o período chuvoso continuou e semanas depois trouxe mais prejuízos para as comunidades.

– Saiba mais: Órgãos federais atuam em conjunto monitorando e apoiando estados
atingidos pelas chuvas

Em Minas Gerais, um dos estados mais afetados, o número de mortes provocadas pelas chuvas, entre os dias 23 e 24 de janeiro, subiu para 50 pessoas. Esta informação foi divulgada no dia 28 de janeiro, pela Defesa Civil Estadual. O levantamento aponta ainda que mais duas pessoas estão desaparecidas. Segundo o órgão, há 28.043 estão desalojados e 4.101 estão desabrigados no estado. Até o momento, 101 municípios decretaram Situação de Emergência e 65 pessoas ficaram feridas. Neste período, Belo Horizonte/MG teve a maior chuva da história, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia). Foi o maior volume registrado em 110 anos, desde que as medidas meteorológicas começaram a ser feitas na capital mineira. Em 24 horas o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros na capital mineira.

No Espírito Santo, mais de 12 mil pessoas ainda estão fora de suas casas em 27 municípios devido as chuvas que atingem o estado desde o dia 17 de janeiro. No total, 10.573 pessoas estão desalojadas e 1.898 estão desabrigadas. As informações são do último boletim da Defesa Civil Estadual, divulgado no dia 28 de janeiro. Desde que as chuvas começaram, nove pessoas morreram, incluindo duas crianças.

Já, no Rio de Janeiro, oito cidades do Norte e Noroeste do Estado, foram atingidas pelas chuvas no dia 24 de janeiro. A enchente causada pelo grande volume de água, deixou cerca de 15 mil pessoas fora de casa. Até o momento, duas pessoas morreram.

RECURSOS
O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, esteve no dia 26 de janeiro,  no Espírito Santo e em Minas Gerais, os dois estados mais afetados pelas fortes chuvas dos últimos dias. Após sobrevoar as áreas mais atingidas em cada região, o ministro participou de reuniões com os governadores Renato Casagrande e Romeu Zema, além de prefeitos.

O ministro ressaltou que R$ 90 milhões já estão disponíveis, de imediato, para as ações da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) voltadas ao socorro e assistência em todo país. A liberação de recursos às localidades afetadas ainda depende do levantamento dos danos, que será realizado pelos municípios.

ALERTAS
A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) envia alertas de desastres naturais sempre que necessário aos órgãos competentes sobre riscos de ocorrências. As defesas civis locais, por sua vez, encaminham esses avisos à população por meio de SMS nos celulares e mensagens nas TVs por assinatura.

Somente em 2020, já foram mais de 2 mil alertas de desastres naturais para todo o Brasil. Os números contemplam os avisos emitidos por SMS para os celulares cadastrados e para os usuários de TVs por assinatura, serviço que não requer cadastro.

Para se cadastrar, basta enviar um SMS com o CEP de interesse para o número 40199. De imediato, a seguinte mensagem confirmará o êxito da operação: “Cadastro realizado com sucesso. O celular está apto a receber alertas e recomendações de defesa civil. Para cancelar, envie sair e o CEP para 40199”. É permitido cadastrar mais de um CEP. Acesse e saiba mais.

Já os alertas em TV por assinatura são enviados diretamente aos televisores. O serviço é gratuito, está disponível em todos os estados do Brasil e não necessidade de cadastro prévio.

Leia mais
– Defesa Civil CE divulga orientações para o período de chuvas
– CBMTO orienta sobre cuidados com cabeça d’água nas cachoeiras