Oton Veiga/Globo
Data: 16/10/2019 / Fonte: G1

Fortaleza/CE – Há 24 horas trabalhando voluntariamente nas buscas a vítimas do desabamento do Edifício Andrea, acidente ocorrida na manhã desta terça-feira (15) no Bairro Dionísio Torres, em Fortaleza, a bombeiro civil Natália Amaral relata a dificuldade e a emoção de fazer parte do resgate.

Até a noite desta quarta-feira (16) foram confirmadas três mortes, sete resgates e outras sete pessoas desaparecidas nas ruínas do prédio, localizadas no cruzamento das ruas Tibúrcio Cavalcante com Nogueira Acioli. Equipes de salvamento trabalharam durante toda a noite no local. Um vídeo mostra o momento exato em que o prédio desmorona.

Mesmo acostumada a situações adversas de socorro, ela conta que “o trabalho está sendo muito pesado” devido a quantidade de entulhos e escombros no local. A bombeiro afirma que vai permanecer no resgate “até o corpo cansar”.

Entre os momentos mais difíceis, ela cita aqueles em que a equipe pede silêncio absoluto no local para tentar ouvir as vítimas sob os escombros, mas não consegue retorno. E quando encontra objetos como brinquedos e roupas infantis. “Isso abala muito”, descreve a bombeiro.

Prédio estava em reforma
O prédio residencial desabou na manhã desta terça-feira (15) no Bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza. O Governo do Ceará e a Prefeitura de Fortaleza estimam que havia 20 pessoas no prédio no momento do desabamento.
Testemunhas relatam que viram moradores dentro do edifício Andrea no momento do desabamento. Logo após a construção ruir, pessoas foram vistas correndo para longe do condomínio. A nuvem de poeira formada pela queda do prédio pode ser vista no vídeo acima.

Uma ex-moradora do prédio contou ao G1 que a construção tem mais de 40 anos e passava por reforma. A estrutura tinha sete andares e dois apartamentos por andar, segundo ela.

O que se sabe até agora
– Edifício Andrea desabou às 10h28

– A primeira morte foi confirmada às 23h55 de terça, e a segunda, na manhã desta quarta

– Ao menos nove pessoas foram resgatadas com vida

– Até o início da manhã desta quarta, nove pessoas seguiam desaparecidas

– Ruas no entorno do edifício foram bloqueadas

– O prédio ficava no cruzamento na Rua Tibúrcio Cavalcante com Rua Tomás Acioli

– O edifício ficava a cerca de 3 quilômetros da Praia de Iracema, região turística da capital cearense

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui