Pista de incêndio é composta por quatro simuladores de fogo vivo - Crédito: Sandro Castro

Com o início das atividades em junho deste ano, o Centro de Treinamento Canaã, localizado em Gravataí/RS, é um empreendimento voltado a todo e qualquer treinamento destinado a atender as áreas de Segurança e Emergência, focado especialmente na indústria. “Temos uma estrutura física muito bem montada para atender cursos na área de incêndio como formação de bombeiros e brigadistas de incêndios, além de outras modalidades que necessitam projetos diversos para altura, espaços confinados, produtos químicos, resgates, entre outros”, enfatiza Leandro Balbinot, coordenador de Operações do CT Canaã. Para o diretor do CT Canaã, Moisés Christimann, estes primeiros quatro meses de operação foram muito importantes para a estruturação das instalações. “Neste segundo semestre do ano, estamos trabalhando fortemente no comissionamento do campo e fazendo as melhorias necessárias para oferecer uma estrutura nas melhores condições técnicas para nossos clientes e parceiros”, destaca Christimann.

Nesta primeira fase do empreendimento, o centro de treinamento está equipado com dois grandes projetos. O primeiro deles é uma pista de incêndio de aproximadamente 500 m² composta por quatro simuladores de fogo vivo. “Todos eles supridos por gás GLP, considerado um combustível não poluente para esta prática. O projeto de incêndio traz uma inovação entre alguns centros já existentes, pois os simuladores podem realizar queima de GLP tanto na fase vapor quanto na fase líquida,  proporcionando uma queima similar a combustíveis líquidos”, enfatiza Balbinot. O segundo projeto é o edifício que comporta três simuladores distintos. A estrutura é composta por quatro níveis, onde o 1º e 2º pavimentos têm a casa de fumaça e simulador de incêndio de interiores. No 3º pavimento e no terraço existem os simuladores dedicados a treinamentos em altura e espaços confinados, tanto para parte de resgate quanto para trabalho. “Um dos grandes diferenciais do Canaã é que conta com recurso para combate a incêndio com uma grande quantidade de água, por possuir uma reserva técnica de alta capacidade, juntamente com um sistema que possibilita o reaproveitamento de água da pista, bem como da chuva”, completa Christimann.