Crédito: Divulgação/NSW Rural Fire Service

Divulgação/NSW Rural Fire Service
Data: 27/01/2020 / Fonte: Redação Revista Emergência

Austrália – Pelo menos 3,7 mil bombeiros australianos integram os esforços de combate aos incêndios florestais que estão atuando em diferentes estados do país. Estes focos estão atingindo a Austrália desde setembro de 2019, o que já resultou em 32 mortos, atingiu um bilhão de animais nativos que inclui mamíferos, pássaros e répteis, destruiu mais de 2.000 casas e uma superfície de 100.000 quilômetros quadrados – maior do que a superfície de Portugal.

Durante esta operação de combate aos incêndios, os bombeiros do país se juntaram aos três mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica que estão apoiando as buscas, resgates e esforço de limpeza nas áreas afetadas. Além disto, cerca de 250 equipes de bombeiros dos Estados Unidos, Canadá e Nova Zelândia estão auxiliando no combate às chamas.

Entre estes bombeiros, esteve o brasileiro Átila de Oliveira, atual comandante de Bombeiros Florestais da região de Buller no West Coast da Ilha Sul da Nova Zelândia. Oliveira é especialista em incêndios florestais na área de combate aérea e faz parte do NIMT (Equipe Nacional de Gerenciamento de Incidentes), grupo que atua em diferentes ocorrências na Nova Zelândia e também em outros países. “Em dezembro, estava na região de Nova Gales do Sul como ABM (Air Base Manager – Gerente de Base Aérea), controlando oito aeronaves do tipo AT-802F com capacidade de 3.200L cada e entorno de dez helicópteros (ataque, suporte e evacuação)”, destaca Oliveira. Há 15 anos residindo na Nova Zelândia, está é a terceira vez que Oliveira atua no combate aos incêndios florestais na Austrália.

Conforme Oliveira, algumas regiões na Austrália não recebem chuva por alguns anos, somando isso a muita vegetação e condições climáticas, é uma receita completa para grandes desastres. Os incêndios começados em setembro, somente com muita chuva para amenizar. “Os incêndios florestais desta magnitude e intensidade são incontroláveis. São 12 metros de intensidade, você pode jogar água com helicópteros, por vez que evapora muito antes de chegar ao solo, e as equipes de chão podem atuar com segurança em chamas de apenas 1m com no máximo 3m de altura”, enfatiza.

A Nova Zelândia continua enviando novos profissionais para auxiliares no combate ao incêndio. Segundo Oliveira, no início de janeiro, outros 23 bombeiros foram para a Austrália. “Várias pessoas estão envolvidas na luta contra o fogo. Infelizmente esses incêndios iram continuar até março e abril,  quando as temperaturas baixarem e talvez alguma chuva possa trazer uma certa vantagem para o controle”, finaliza Oliveira.

EQUIPAMENTOS
Uma combinação de equipamentos pesados e diversas aeronaves estão sendo utilizadas pelos bombeiros no combate aos incêndios florestais na Austrália. No total, mais de 500 aeronaves estão disponíveis para o combate a incêndios em todo o território australiano, de acordo com o National Aerial Firefighting Centre (Centro Aéreo de Combate ao Fogo), que tem a sua própria frota de cerca de 130 aeronaves prontas para dar reforço aos Estados, quando solicitado. Segundo os bombeiros de Nova Gales do Sul, mais de 750 veículos operam no solo todos os dias.

Leia mais
Austrália: três pessoas morrem em queda de avião que combatia incêndio
Incêndios florestais já mataram 29 pessoas na Austrália