TERREMOTO NA HAITI: RESPOSTA BRASILEIRA
Reportagem de Rafael Geyger

A resposta brasileira à emergência reunir diversos ministérios do governo federal. As decisões saíam de encontros e deliberações do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), da Presidência da República. Em terras haitianas, a coordenação dos trabalhos ficou a cargo do Brabatt, escritório do Exército Brasileiro.

Dois representantes do SEDEC (Secretaria Nacional de Defesa Civil) foram enviados ao Haiti para auxiliar na organização da assistência humanitária. Nos primeiros dias após os tremores, a distrinuição dos donativos vindos de todo o mundo não atendia a critérios e chegou a provocar a revolta e protestos dos haitianos.

Segundo a secretária Nacional de Defesa Civil, Ivone Valente, o chefe do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, Armin Braun e o coordenador-executivo da Defesa Civil de MG, tenente-coronel Alexandre Lucas Alves, viajaram ao Haiti para identificar qual a forma de distribuição dos donativos, acolhendo toda a demanda da solidariedade do povo brasileiro.

No dia 21 de janeiro, o governo liberou, por medida provisória, R$ 375 milhões em recursos para reconstrução e socorro das vítimas do terremoto. Desse montante, R$ 35 milhões foram destinados ao Ministério das Relações Exteriores para auxílio imediato. Outros R$ 205 milhões são para o Ministério da Defesa, para manutenção e reforço nas tropas brasileiras no país caribenho (900 soldados se juntarão aos 1.266 que já estão no Brabatt). Já para o Ministério da Saúde, o crédito é de R$ 135 milhões a serem utilizados na reconstrução do sistema de saúde haitiano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui