Crédito: Divulgação

Fonte: Prefeitura de João Pessoa

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de João Pessoa (Samu-JP) atendeu 40.008 ocorrências de janeiro até novembro deste ano. Do total de ocorrências deste período, 79,9% (31.972) correspondem a atendimentos de socorro, enquanto 16,6% (6.632) foram de orientações e 3,5% (1.404) foram transferências. Mensalmente, foi realizada uma média de 3,6 mil atendimentos.

Para o coordenador geral do Samu-JP, Galileu Machado, o trabalho desenvolvido pelos profissionais do serviço, além de competência, exige dedicação, acolhimento e humanização. “O empenho que nossos profissionais têm em relação às vítimas é admirável, pois é necessário chegar rapidamente até elas após ter ocorrido alguma situação de urgência ou emergência que pode levar ao sofrimento. Isso é de extrema importância para a nossa população, pois cada segundo é fundamental na tentativa de salvar uma vida, diminuindo os danos e evitando morte precoce”, ressaltou.

Os atendimentos clínicos são os mais frequentes, responsáveis por 30,2% das ocorrências registradas este ano. Ao todo, foram 12.097 chamados deste tipo. As equipes do Samu também atenderam casos de traumas (4.073), acidentes de trânsito (3.563), psiquiátricos (2.319), pediátricos (378), obstétricos ou ginecológicos (348), entre outros.

A aposentada Antônia Firmino dos Santos, de 64 anos, foi uma das pessoas atendidas, recentemente, pelo Samu. Ela sofre de asma grave e doença pulmonar obstrutiva crônica. Há poucos dias, ela precisou de atendimento de urgência. “A equipe chegou muito rápido após o chamado. A médica e toda a equipe foram atenciosas com minha mãe e logo a estabilizaram. Depois a encaminharam para uma UPA. Agora ela está bem e agradeço muito a todos os profissionais que a socorreram”, contou Luana Firmino, filha de Antônia.

Quando chamar o Samu – O Samu atende diversas ocorrências, como urgências traumatológicas, psiquiátricas, obstétricas, pediátricas e clínicas – a exemplo de intoxicação, queimaduras graves, trabalho de parto com risco para a mãe ou para o bebê, quedas e crises convulsivas. Sempre que este tipo de urgência acontecer, o serviço deve ser acionado de imediato.

De acordo com o Núcleo de Educação Permanente (NEP) do Samu, um atendimento é considerado socorro quando as ambulâncias e motolâncias são despachadas para atender uma ocorrência. Já a orientação acontece quando um usuário faz um chamado e, como o caso não é grave, o médico da equipe faz o atendimento por telefone.

Equipes – O Samu João Pessoa, que atende a região metropolitana (Bayeux, Cabedelo, Conde e Santa Rita), conta com oito unidades de suporte básico (USB), cinco unidades de suporte avançado (USA) e oito motolâncias. A equipe das USB é formada por condutor e enfermeiro. Já a equipe da USA conta com condutor, enfermeiro e médico. As motolâncias, que saem em duplas, têm enfermeiro e técnico de enfermagem.

Além da Capital, o Samu-JP é responsável pela regulação do atendimento de urgências de 60 municípios inseridos na 1ª Macrorregião de Saúde. Desse total, 28 têm bases do Samu. Na Capital existem bases descentralizadas na UPA Bancários, UPA Valentina, UPA Cruz das Armas, Hospital Santa Isabel, Unidade das Praias e no Parque Arruda Câmara, além da base Central, no Centro Administrativo Municipal, em Água Fria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui