Data: 16/03/2016 / Fonte: Agência Senado

Brasília/DF – Alunos dos ensinos fundamental e médio poderão aprender técnicas de primeiros socorros, conforme propõe o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) no PLS 210/2015, aprovado nesta quarta-feira (16) na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A matéria vai à Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), onde será votada em decisão terminativa.

Caiado propõe modificar a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei 9.394/1996) para incluir conteúdos relativos aos primeiros socorros, abrangendo teoria e prática e incluindo treinamento em ressuscitação cardiopulmonar, explicou Caiado, que é médico. Ele sugere que as disciplinas sejam ministradas na segunda fase do ensino fundamental e no primeiro ano do ensino médio, mediante convênio com o Corpo de Bombeiros dos estados.

O objetivo da proposta é formar um número cada vez maior de cidadãos com conhecimentos mínimos, mas eficazes de salvamento emergencial. Isso porque, segundo o autor, o auxílio prestado por voluntários com experiência em resgate e emergência é de grande valia no salvamento de vidas, aumentando a chance de sucesso do resgate pelo Corpo de Bombeiros.

O relator do projeto, senador Edison Lobão (PMDB-MA), concorda e alerta para o grande número de mortes ocorridas fora dos hospitais por falta de atendimento e pelo socorro inadequado.

– Muitas pessoas falecem ou porque ninguém age ou porque alguém não capacitado se apresenta para proceder ao socorro. O emprego de técnicas de primeiros socorros, mesmo quando realizadas por leigos, pode salvar vidas e prevenir sequelas de várias ordens em vítimas de acidentes ou em pessoas com mal súbito, conforme demonstram vários estudos – afirmou Lobão.

No debate, os senadores Humberto Costa (PT-CE) e Marta Suplicy (PMDB-SP) lembraram preocupação de especialistas com o extenso currículo obrigatório da educação básica no Brasil, em sentido oposto ao que ocorre em outros países.

– Há questionamento de educadores e do próprio MEC [Ministério da Educação] quanto à multiplicação de disciplinas. Um assunto como esse [tratado no PLS 210/2015] pode ser parte de alguma disciplina já existente – observou Humberto Costa.

Já os senadores Eduardo Amorim (PSC-SE), Ronaldo Caiado e Edison Lobão citaram exemplos de situações em que conhecimentos de técnicas de primeiros socorros poderiam ter evitado sequelas nos acidentados ou mesmo evitado mortes.

– Nós não temos a preocupação de orientar os jovens em como poder atender uma pessoa em momento emergencial. Em qualquer país da Europa, os jovens são preparados para isso, sabem como dar atenção em um acidente, sabem como mobilizar um acidentado – afirmou Ronaldo Caiado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui