Crédito: Ascom AESP/CE

Fonte: Governo do Ceará

A Academia Estadual de Segurança Pública do Ceará (Aesp/CE) iniciou, na sexta-feira (11), o Curso de Operações em Atendimento Pré-Hospitalar – COAPH. Trinta alunos, sendo 13 bombeiros militares e 17 policiais militares, participam da capacitação, que tem o objetivo de recapacitar e nivelar o profissional de segurança pública no serviço de atendimento pré-hospitalar.

De acordo com o Plano de Ação Educacional, o treinamento tem uma carga horária de 100 horas/aula, e conta com disciplinas de: introdução ao serviço de atendimento pré-hospitalar; legislação e sinalização e local da ocorrência; materiais e equipamentos de APH e biossegurança; introdução anatomia humana; hemorragias e choques; traumatismos; movimentação e transporte de acidentados; entre outros componentes curriculares que repassam conhecimentos sobre procedimentos e técnicas para avaliar, abordar e identificar problemas que comprometem a vida, como remoção de vítima em casos extremos, resgate de vítimas presas em ferragens, em locais elevados e também em espaços confinados.

Crédito: Ascom AESP/CE

“Esse é um curso nobre, uma das missões do Corpo de Bombeiros é ter essa oportunidade de conhecer e praticar esse tipo de atendimento. Esperamos que nunca haja a necessidade, mas tanto no serviço militar como no dia a dia é importante estarmos preparados para qualquer eventualidade”, explicou o coordenador de ensino e instrução da Aesp, coronel BM Humberto Rodrigues Dias.

As instruções ocorrem no Batalhão de Socorro de Urgência (BSU/CBMCE), entre os dias 11 e 25 de junho, e contam com um corpo docente formado por médicos, enfermeiros e técnicos especialistas.

Cabo Nathale Pires, policial militar lotada na Aesp, é uma das alunas do curso e destaca a importância de receber este tipo de capacitação. “O curso de APH, no âmbito da nossa atividade profissional é de extrema importância porque em diversos momentos o policial vai se deparar com ocorrências com vítimas que apresentem lesões, que necessitem de algum atendimento pré-hospitalar, e até o momento em que o socorro médico chegue, pode ser que essa vítima não resista. Então assim, como os policiais militares geralmente são os primeiros a atenderem uma ocorrência, esse atendimento pré-hospitalar pode fazer a diferença e salvar uma vida. E até em uma situação do dia a dia, do nosso cotidiano, como o curso apresenta técnicas básicas, nós podemos salvar a vida de um familiar que está passando por um problema cardíaco ou um engasgo, por exemplo”, pontuou a militar.

A aula inaugural foi ministrada pelo tenente-coronel BM, Edir Paixão, mestre em saúde pública, que palestrou sobre o tema “Atendimento pré-hospitalar em situação de tentativa de suicídio”, e contou com as presenças da comandante do BSU, tenente-coronel BM, Diana Maria Veras Feitosa, e do comandante de Bombeiro do Interior (CBI), coronel BM Anderson Viana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui