Data: 24/02/2010 / Fonte: G1

Foto: Reprodução Tv Globo

Brasil – O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) alerta: o número de raios no Brasil deve aumentar consideravelmente até março. As regiões mais atingidas são Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

É hora de todo mundo verificar como estão, em casa e no trabalho, os para-raios. Muitas vezes o prédio tem o equipamento mas ele está mal instalado.

Você sabia, por exemplo, que uma antena mal colocada pode anular o efeito do para-raios? Pergunte ao zelador do prédio se o equipamento foi vistoriado recentemente, porque estamos em plena temporada de raios no país mais atingido por descargas no mundo.

Uma ameaça que vem do alto. As nuvens carregadas dão o sinal. É muita energia concentrada que cai em forma de raios. No Brasil são, em média, 50 milhões deles no ano – estima o Instituto Nacional de Meteorologia. É o país mais atingido no mundo. É nesta época, a mais quente, que o risco aumenta.

Só no estado de São Paulo caem cerca de dois milhões de raios por ano – 1,5 milhão apenas no verão. Por isso é tão importante que as construções mantenham um sistema eficiente de para-raios. Mas como saber se onde você mora está tudo certo?

Em um condomínio não estava. A função do para-raio é levar a descarga elétrica até o solo e com isso afastar o risco de incêndio ou danos na edificação. Mas não havia cabos suficientes.

“Os isolamentos também já estavam gastos, os isolamentos de borracha. Como fica exposto ao tempo acaba se desgastando. Foi feita adequação. O aterramento de toda a parte metálica da cobertura, da grade, das tampas da caixa, das antenas também não estava adequada. Isso também foi atualizado”, aponta o administrador do condomínio Eduardo Zangari.

“A instalação tem que ser feita por firma especializada. As vistorias devem ser feitas mensalmente pelo zelador principalmente para ver se não existe alguma coisa, algo acima do nível do para-raio. Qualquer objeto acima do nível do para-raio neutraliza a sua eficiência”, alerta o vice-presidente de administração imobiliária e condomínios do Secovi-SP Hubert Gebara.

O professor de eletrotécnica da USP, Welson Bassi, recomenda a instalação do equipamento em todas as construções, especialmente em áreas descampadas, onde o risco de ser atingido por raios é maior. Se começar a chover forte, é preciso tomar algumas precauções.

“Não utilizar equipamentos elétricos, ou mesmo de telecomunicações, de telefone, secador de cabelo, alguma coisa que entre, que provê contato direto com a rede elétrica. Evitar também a proximidade de janelas, de aberturas na edificação e tomar banho no momento da chuva, porque você está mais vulnerável à passagem de corrente elétrica naquele momento”, explica Welson Bassi.

Como a energia do raio pode percorrer os fios, os equipamentos eletrônicos necessitam de um sistema específico de proteção. Quem não tem esse sistema deve tirar tudo da tomada.

“No televisor você vai desconectar os cabos da tomada e do serviço de TV a cabo, de antena que podem sofrer o impacto de descargas e tem a proteção efetiva do equipamento”, aponta Welson Bassi.

Durante uma tempestade não use o chuveiro ou o telefone fixo e evite ficar próximo de aparelhos elétricos e de janelas.

Mas, também há alguns mitos sobre o assunto. Por exemplo, o de que espelhos atraem raios. Isso não é verdade. Na dúvida, ainda tem muita gente que durante uma chuva ainda sai cobrindo todos os espelhos da casa.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui