Data: 18/02/2016 / Fonte: G1

Feira de Santana/BA – O Ministério Público do Estado da Bahia entrou com uma ação na Justiça para impedir que ambulâncias do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) fiquem retidas no Hospital Geral Clériston Andrade, em Feira de Santana. “A ação pede multa diária em caso de descumprimento, de o estado reter aquele tipo de maca naquele local”, detalha o promotor Audo Rodrigues.

O problema ocorre não só com ambulâncias do Samu, mas com as que chegam de outras cidades para levar pacientes ao hospital. O diretor da unidade de sáude, José Carlos Pintagueira, diz que os  problemas só ocorrem quando paciente chega em estado grave e são atendidos na própria maca do Samu para evitar piora.

Isso ocorre porque faltam leitos hospital: entre 302, 24 são da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e todos vivem ocupados. “O Cleriston Andrade é sozinho para 127 municípios e precisa ser ajudado”, diz.

O Samu em Feira de Santana tem disponíveis seis ambulâncias e uma motocicleta.  A coordenadora Maísa Macedo avalia que a média de 40 pessoas são atendidas pelo serviço diariamente.

Esse número poderia ser maior se as ambulâncias não ficassem retidas no hospital. “Diariamente, nossas equipes ficam lá. Nesse período vem diminuindo e já tivemos período de permanecer tempo maior”, relata.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui