Data: 10/10/2019 / Fonte: G1

Juiz de Fora/MG – Um simulado de evacuação de emergência foi realizado na tarde desta quinta-feira (10) nas barragens da Pedra e dos Peixes, em Juiz de Fora. Mais de mil pessoas, entre moradores e funcionários da Nexa Resources, participaram do treinamento.

A ação fez parte do Plano de Ações de Emergência para Barragens (PAEB). Durante o simulado, que começou às 14h e terminou por volta das 14h30, os participantes conheceram, na prática, os sinais sonoros, as rotas de fuga e os pontos de encontro.

Conforme a coordenadora de Meio Ambienta da Nexa, Milena Moreira, a adesão foi considerada elevada para este tipo de exercício.

“O simulado alcançou o resultado esperado, principalmente em relação à participação. Foi o momento de avaliar o comportamento e adesão da comunidade. Vamos avaliar todos os fatores, além de continuar trabalhando fortemente com a prevenção”, destacou.

O Corpo de Bombeiros, a Defesa Civil e outras instituições públicas também participaram da atividade.

Em junho, o G1 mostrou que foi realizado um pré-simulado, preparatório para o exercício prático. Ao todo, cerca de 355 moradores conheceram, na prática, os sinais sonoros, as rotas de fuga e os pontos de encontro. Foram realizadas duas simulações ao longo do dia.

Já no dia 12 de setembro, foram feitos testes com sirenes instaladas nas duas barragens. Segundo a instituição, os equipamento serão utilizados durante o simulado de emergência para auxiliar os moradores.

Barragens
As barragens da Pedra e dos Peixes são contenções de resíduos industriais da unidade de Metalurgia da Nexa Resources, em Juiz de Fora, e armazenam jarosita, um material não ferroso.

A Barragem da Pedra tem volume de 1,5 milhão de m³ e encontra-se ativa. Em 5 de fevereiro, a mineradora confirmou que vai duplicar a capacidade de armazenamento da barragem e com a conclusão da obra, o local terá capacidade para armazenamento de 3,29 milhões de m³ de rejeitos e cerca de mais 14 anos de vida útil.

Já a menor barragem, a dos Peixes, está inativa para disposição de rejeito desde 2012 e o volume é de 800 mil m³.
As duas barragens também estão na lista de fiscalização imediata divulgada no final de janeiro pela Agência Nacional das Águas (ANA) e, segundo a pasta, têm baixo risco de rompimento, porém alto dano associado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui