Data: 24/02/2010 / Fonte: Gazetaweb.com

Alagoas – Alagoas será um dos primeiros estados brasileiros a ter 100% de cobertura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que atende pelo número 192. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 24, em Brasília-DF, pelo secretário estadual de Saúde, Herbert Motta, que participou de reunião técnica na coordenação nacional de Urgência e Emergência do Ministério da Saúde (MS).

Ele comemora a aprovação do Plano de Reestruturação e Fortalecimento da Rede Estadual de Urgência e Emergência colocado em prática pelo governo alagoano há pouco mais de 1 ano. De acordo com o secretário, em 2007 eram apenas duas bases do Samu, sendo uma em Maceió e outra em Arapiraca.

A partir daí, as ações foram pautadas atendendo o Plano de Regionalização que até junho (primeira etapa) coloca em funcionamento 11 novas bases, das quais, sete já estão em operação nos municípios de União dos Palmares, Palmeira dos Índios, Penedo, Porto Calvo, São Miguel dos Campos, Pão de Açúcar e Viçosa. Até o final de 2010 será executada a etapa final, garantindo 23 novas bases do Samu, reduzindo o tempo resposta entre 20 e 30 minutos e totalizando 36 bases em todo o estado.

“Nada disso seria possível sem a parceria dos municípios e a efetiva participação do governador Teotonio Vilela Filho, que tem dado todas as condições para investir nessa área, garantindo ampliação e criação de novos serviços”, afirmou Herbert Motta.

O plano, que agora contará com aporte financeiro do MS, está sustentado em quatro diretrizes, como a ampliação de leitos hospitalares no Hospital Geral do Estado (HGE), Unidade de Emergência Daniel Houly, Hospitais do Sertão e Metropolitano, garantindo incorporar ao Sistema cerca de 600 novos leitos em até quatro anos.

Segundo o secretário, a implementação de nove Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), uma parceria entre o Estado e o MS, também está prevista no Plano de Regionalização. As UPAs serão utilizadas como suporte da assistência pré-hospitalar (Samu) em regiões estratégicas e que apresentam “vazios assistenciais” como definem os técnicos.

E por último, a implantação da rede ambulância cidadã, transporte sanitário de retaguarda complementar no sistema Samu, responsável pelo deslocamento regional de pacientes eletivos não graves. “Essa iniciativa (ambulância cidadã) foi muito elogiada pelo Ministério da Saúde porque, além de pioneira está consolidada a partir de critérios pactuados entre Estado e Municípios para uma finalidade bem clara no Sistema Único de Saúde em Alagoas (SUS)”, disse o diretor estadual de assistência pré-hospitalar, Iracildo Camelo.

O saldo desse trabalho é bastante positivo porque essas ações já estão acontecendo, a exemplo da ampliação da frota do Samu, novas bases regionais, Samu neonatal e aéreo, novos leitos na rede, ambulância cidadã, entre outras ações, que demonstram e comprovam uma série de avanços”, reforçou Herbert Motta.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui