Crédito: Flávio Jr, Ascom DCSC

Fonte: Defesa Civil SC

A Defesa Civil de Santa Catarina (DCSC) atuou nos momentos mais difíceis levando ajuda e apoiando na reconstrução do Estado. Nesta semana a instituição completa 47 anos de existência. Ela foi criada em 1973, através do Decreto lei n° 4.841, pelo então governador Colombo Machado Salles.

“É uma história de sucesso que foi construída com o apoio de homens e mulheres que se doaram em prol da solidariedade”, destacou o chefe da DCSC, João Batista Cordeiro Júnior. Segundo ele, os desafios apenas foram vencidos graças a ajuda destas pessoas que transformaram as dificuldades em conquistas.

Com o passar dos anos a DCSC foi estruturada e hoje é referência internacional na prevenção, gerenciamento e resposta a desastres. Atualmente a Defesa Civil tem como sede o Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGERD) em Florianópolis, que também é administrado pela DCSC.

Dentro da Estrutura podemos destacar o Centro Integrado de Operações (CIOP) local onde as ações operacionais são administradas. No CIOP atuam os membros do Grupo de Ações Coordenadas (GRAC) composto por representantes de todas as estruturas do Governo do Estado e de organizações não governamentais, o que possibilita uma resposta mais rápida aos eventos extremos.  Já o Centro de Monitoramento e Alerta realiza o acompanhamento das condições meteorológicas e emite alertas e informações para que a população possa se preparar para a chegada de eventos extremos. A Defesa Civil de Santa Catarina conta ainda com áreas voltadas para a educação, comunicação e tecnologia da informação.

A instituição também administra barragens de contenção de cheias, uma rede de radares meteorológicos, que cobrem todo o território do Estado, uma base de captação de imagens do satélite meteorológico mais avançado da atualidade e conta com vinte (20) sedes regionais que dão suporte para todos os municípios do Estado.

O Chefe da DCSC explicou que inúmeros eventos haviam sido programados para a comemoração dos 47 anos, mas a chegada da pandemia resultou no replanejamento de toda a programação.  De acordo com ele,  passamos por um momento onde um vírus provocou uma grande mudança em nossa sociedade. Apesar desta situação cada catarinense se mostrou como um voluntário da Defesa Civil apoiando o distanciamento social e cuidando dos familiares e das pessoas que estavam próximas. “A pandemia do coronavírus mostrou mais uma vez o foco e a vocação dos profissionais que atuam na Defesa Civil”, finalizou  João Batista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui