Crédito: Arquivo pessoal

Fonte: G1

Servidores de diversos departamentos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) estão se mobilizando para auxiliar as unidades de saúde no tratamento de pacientes com coronavírus. Entre as medidas está a manutenção de respiradores e a fabricação de máscaras acrílicas com uma impressora 3D.

Conserto de equipamentos

Nos departamentos de Engenharia Mecânica e Engenharia Elétrica, os servidores Leonildo Bernardo Pivotto, Heitor Vinicius Mercaldi e Rafael Visintin e o professor Sérgio Evangelista, se juntaram para recuperar respiradores que estivessem parados por falta de manutenção.

Os primeiros equipamentos consertados foram do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Soubemos desses equipamentos do Samu e estamos trabalhando em cima disso. Temos consciência de que existem diferentes tipos de manutenção, temos contato com pessoas que trabalham diretamente com equipamentos médicos e que estão nos dando uma ajuda, mas existem outros que estão abandonados por coisas simples – uma bateria que não funciona, uma mangueira de ar ressecada, um botão no painel que está danificado e impede a execução do equipamento. São coisas simples de serem feitas e podem ser feitas na universidade”, afirmou Pivotto.

Máscaras

Outra iniciativa é a impressão 3D de máscaras acrílicas, as ”faceshield’, que fazem parte do conjunto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) dos profissionais que trabalham na área da Saúde.

O projeto começou com o servidor Marcos Tan Endo, da Engenharia Mecânica e já conta com 17 participantes, entre estudantes, servidores, professores e pesquisadores da UFSCar, da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC)/ USP e de outras instituições.

Endo trabalha em home office. Por conta do equipamento, o material demora em torno de duas horas para ficar pronto.

“As impressoras 3D que temos aqui e a que ele tem na casa dele não são máquinas industriais de grande uso, são máquinas pequenas, então é um processo mais lento”, explicou Leonildo.

Até a manhã de terça-feira (1º), foram entregues aproximadamente 50 protetores faciais ao Hospital Universitário (HU). Eles foram aprovados e já estão sendo utilizados pelos profissionais da saúde.

Crédito: CCS-UFSCar

“O novo coronavírus é um vírus de alto contágio e transmitido por via aérea. O uso das ‘faceshields’, associado ao uso dos demais EPIs, como máscaras, luvas e vestimentas de proteção, contribuirá para a manutenção de profissionais saudáveis e, também, para evitar a transmissão do vírus aos seus familiares e contatos próximos”, afirmou a médica e Gerente de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário, Profa. Dra. Flávia Gomes Pileggi Gonçalves.

O mesmo está sendo feito por professores da Engenharia de Produção e de Materiais, que estão usando as impressoras do departamento para produzir insumos para o Hospital Universitário (HU) e para a Santa Casa de Misericórdia.

Respiradores

Também nos departamentos das engenharias está sendo desenvolvido um protótipo de um respirador de baixo custo e fabricação simples que pode auxiliar o atendimento da saúde.

“A ideia é tentar homologar no Ministério da Saúde para ver se ele é realmente funcional e construir inicialmente cinco protótipos para posteriormente fazer uma produção maior, articulando a universidade e membros da sociedade civil que possam contribuir”, explicou Pivotto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui