Data: 10/05/2016 / Fonte: G1

Goiânia/GO – Proprietários de linhas telefônicas de onde partirem trotes ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) serão identificados e multados, em Goiânia. Entrou em vigor nesta terça-feira (10) a Lei Municipal 9.775, que prevê punição no valor de R$ 1 mil para cada ligação ao órgão informando uma falsa ocorrência. O valor será dobrado em caso de reincidência.

De acordo com o diretor técnico do Samu, Ricardo Furtado, a cada 100 ligações que o órgão recebe, em média, 20 são trotes. Por dia, são cerca de 1.200 pedidos de socorro pelo telefone 192. Dessa forma, muitas ocorrências que são verdadeiras acabam com o atendimento prejudicado.

“Esses trotes acabam gerando ocorrências. Assim, pessoas que realmente precisam de ajuda podem ter o seu atendimento retardado, atrasado, tudo por conta do uso de ambulância que está em atendimento a um trote”, disse Furtado.

O diretor explica que a maioria dos trotes ainda são feitos por crianças, mas nesses casos as equipes conseguem identificar e não chegam a deslocar as ambulâncias. Porém, o que preocupa são as ligações informando falsas ocorrências feitas por adultos, que descrevem a situação com riqueza de detalhes e motivam o envio das equipes.

A partir de agora, quando o trote for registrado, os relatórios serão encaminhados às empresas telefônicas para que elas informem os nomes dos proprietários. Mesmo que a falsa ocorrência não tenha sido feita pelo dono da linha, ele será multado.

“Além do empenho do efetivo do Samu, além de gasolina e do risco para a equipe, o gasto financeiro com o deslocamento desnecessário é incalculável. Sem contar que os trotes impactam diretamente no atendimento e o que a gente costuma dizer no serviço pré-hospitalar é que tempo é vida”, ressaltou Furtado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui