Data: 13/03/2018 / Fonte: Corpo de Bombeiros de Santa Catarina

Florianópolis/SC – Começou na manhã desta terça-feira (13/03), no Centro de Eventos Governador Luiz Henrique da Silveira em Canasvieiras, Norte da Ilha, em Florianópolis, o 2° Seminário Internacional de Proteção e Defesa Civil, organizado pela Secretaria de Estado de Defesa Civil, em parceria com outros órgãos estaduais e federais. O Corpo de Bombeiros Militar, que tem papel fundamental nas ações de resposta a situações de desastres que assolam o estado, seja no socorro ou resgate de vítimas e logística de acesso a locais isolados, participa de forma veemente do evento.

A participação dos Bombeiros acontece tanto por meio da presença nas palestras e discussões sobre políticas públicas ou ações que possam mitigar riscos e prejuízos de desastres, como também com uma exposição de equipamentos e viaturas, usados pelas Forças-Tarefas durante as operações desencadeadas em eventos críticos no estado. Presente no evento, o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar explicou que o próprio surgimento das Forças-Tarefas do Bombeiro Militar foi em decorrência da necessidade da atuação de Bombeiros em ocasiões adversas. “Por isso, atualmente, as nossas Forças-Tarefas constituem equipes da mais alta especialidade de Bombeiros, que aliando equipamentos e técnicas estão aptas a suplantar áreas atingidas para resgatar ou socorrer vítimas ou oferecer algum tipo de assistência necessária às pessoas”.

Na solenidade de abertura do evento,o Governador Eduardo Pinho Moreira,lembrou da pronta resposta catarinense ao último grande evento climático que assolou o estado, mais precisamente o Vale do Itajaí em 2008. “Naquela ocasião Santa Catarina rapidamente já se mostrou capaz de se reerguer, restabelecendo a normalidade. Porém, o objetivo deste seminário é prevenir e melhorar a forma de atuação do estado nas ocorrências envolvendo desastres naturais”, disse. A palestra de abertura, proferida pelo secretário de Defesa Civil Rodrigo Moratelli, traçou uma linha do tempo, apontando a evolução das ações de Defesa Civil catarinense, quanto à prevenção e resposta a desastres, desde o evento climático de 2008 na região do Vale do Itajaí e morro do Baú, até os dias atuais. Além de projetar as metas a serem atingidas pelo estado até 2028, por meio do planejamento estratégico da secretaria. O secretário disse que, até então, Santa Catarina tinha lembrança de eventos climáticos relacionados a enchentes de 1983 e 1974. “Mas em 2008, os números acabaram provocando mudanças no cenário estadual de Defesa Civil, tanto pela quantidade de municípios atingidos. Foram 14 municípios em situação de calamidade e outros 63 em emergência. A quantidade de chuva que provocou inúmeros pontos de deslizamentos e soterramentos deixou 135 mortos.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui