Data: 16/08/2017 / Fonte: Fundacentro

São Paulo/SP – A Semana da Segurança Química, que será realizada
entre os dias 16 e 20 de outubro em São Paulo/SP, já abriu inscrições
para os eventos que a compõem. Para participar, basta se inscrever
separadamente nas atividades de seu interesse, entre painéis, palestras e
seminários, no site da Fundacentro, em Próximos Eventos. Já para os
minicursos, é preciso aguardar até 18 de setembro, quando serão abertas
as inscrições. As orientações se encontram na área de Próximos Cursos do
portal institucional.

A íntegra da programação também está
disponível, reunindo especialistas renomados, de diferentes
instituições. “Queremos atualizar o público sobre os programas
internacionais e mostrar como impactam na indústria, no governo e na
sociedade em geral. Nesse cenário, o nosso foco principal é o
trabalhador”, afirma o coordenador do evento, Fernando Sobrinho.

No
auditório, serão realizados dois painéis no dia 16, com uma única
inscrição, e um terceiro em 18 de outubro, com inscrição separada. O
primeiro tratará de atualidades em segurança química, abordando temas
como Sistema Estratégico para Gerenciamento Internacional de Substâncias
Químicas – Saicm e o Programa Atuação Responsável. O segundo será
focado na intersetorialidade e regulamentação, apresentando as ações da
Comissão Nacional de Segurança Química – Conasq, a questão da
responsabilidade do profissional de química e um histórico sobre o
benzeno.

Já o terceiro relacionará segurança química, saúde e
meio ambiente, em 18 de outubro, das 9h15 às 17h, mostrando parte do
Programa Nacional de Prevenção da Silicose – Pnes e o projeto Carex
sobre exposição a carcinogênicos. Também serão abordados temas como
acidente ambiental com mercúrio, toxicologia ocupacional, convenções
internacionais de Estocolmo, Roterdã e Basileia, e prioridades para a
segurança química no setor de saúde.

“A segurança química no
mundo de hoje é norteada pelos programas e convenções da Organização
Internacional do Trabalho – OIT e do Programa das Nações Unidas para o
Meio ambiente – Pnuma. Eles impactam em nossa legislação e nas ações do
governo, da indústria e dos sindicatos, atingindo a população como um
todo e no nosso caso específico, o trabalhador”, explica o engenheiro da
Fundacentro, Fernando Sobrinho.

Todos esses temas serão
abordados durante a Semana da Segurança Química. O ano de 2020 é
referência para a implementação do Saicm, e a Organização das Nações
Unidas – ONU já tem uma agenda para 2030 em que relaciona questões de
segurança química. “É importante que os órgãos de decisão, entidades não
governamentais, conselhos de classe e universidades conheçam esses
temas. Hoje se fala muito em desenvolvimento sustentável e química
verde, que estão vinculados à segurança química”, completa o
coordenador.

Também haverá a realização de dois seminários no
auditório da Fundacentro, que contribuirão para essas discussões. O
Seminário Segurança Química, Educação e Comunidade ocorre em 19 de
outubro e discutirá como a educação pode atuar frente às emergências e
aos venenos agrícolas. Outros pontos abordados serão o ensino de
segurança química, com apresentações e debates com duas das principais
universidades do Brasil – USP e UFRJ, o papel das ONG’s e sindicatos, as
ações educativas da Fundacentro e o projeto Educação em Segurança
Química da Conasq.
O Seminário sobre Prevenção de Acidentes Químicos,
em 20 de outubro, possibilitará a discussão de acidentes químicos que
ocorreram. Serão abordadas questões como a gestão de riscos em pequenas e
médias empresas, os perigos da amônia, o controle de energias perigosas
e descontaminação humana.

A Semana da Segurança Química ainda
oferecerá uma palestra sobre equipamentos de proteção química à pele no
dia 17 de outubro, das 9h30 às 12h, e uma Rodada de Palestras sobre
Segurança Química, na mesma data, das 9h às 17h45. Serão abordados
diversos temas: transporte de produtos perigosos; Sistema Globalmente
Harmonizado para Rotulagem de Substâncias Químicas – GHS;
nanotecnologia; Convenção de Minamata sobre banimento e restrição de uso
do mercúrio e seus compostos; e Convenção sobre Proibição de Armas
Químicas.

Ainda serão realizados três minicursos – trabalho em
espaços confinados, ferramentas para avaliação de riscos químicos (tool
kit) e nanotoxicologia, – e um curso sobre Inflamáveis e a NR 20
(Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e Combustíveis).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui