Data: 09/11/2016 / Fonte: Agência de Notícias de Alagoas

Maceió/AL – Socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) participaram de um simulado com múltiplas vítimas. A ação reuniu estudantes de Medicina da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal) e ocorreu no Estacionamento de Jaraguá, em Maceió. A simulação foi uma preparação para o XXIX Congresso Panamericano de Trauma, que acontece a partir desta quarta-feira (9), no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, em Maceió.

Na `cena do acidente’ foram envolvidas 25 vítimas numa colisão entre três veículos, onde um deles `explodiu’. Para realizar a ação, foram tomados como base os dados estatísticos que apontam o trauma como a terceira causa de morte no mundo, sendo superado apenas pelos eventos cardiovasculares e o câncer.

No entanto, na população jovem de 0 a 44 anos, é a principal causa de mortalidade. Para cada óbito decorrente de trauma, há quatro sequelados, que demanda um custo elevado anual para tratamento e reabilitação, estimado em US$ 6 bilhões, segundo informou o professor Amauri Clemente, que leciona a disciplina Anatomia na Uncisal e na Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Para o professor, que também é tutor da Liga de Trauma da Uncisal, o simulado contribuiu para treinar as equipes que fazem atendimento pré-hospitalar e, com isso, melhorar a qualidade do atendimento, reduzindo o atendimento no menor tempo-resposta para salvar mais vidas com o mínimo possível de sequelas.

O evento também foi relevante para os estudantes, porque tiveram a oportunidade de vivenciar um fato quase real, uma vez que tudo o que foi realizado no simulado pode ser percebido num acidente real.

“O simulado foi produtivo e aconteceu da forma mais real possível. O tempo resposta do socorro atendeu aos parâmetros necessários, que são determinados pelos padrões internacionais para o socorro de múltiplas vítimas, iniciando-se 15 minutos depois de as entidades serem informadas sobre o acidente”, evidenciou Amauri Clemente.

Segundo o supervisor do Samu Maceió, Lucas Casado, a prática do simulado permite aos profissionais um aperfeiçoamento nos atendimentos do dia a dia.

“Por isso é fundamental essa integração do Corpo de Bombeiros e do Samu e outras entidades envolvidas, principalmente nos atendimentos de múltiplas vítimas, contribuindo para reduzir, ao máximo, as sequelas que pacientes podem adquirir numa situação real”, destacou Casado.

Além do Samu Maceió, profissionais de várias entidades participaram do simulado, a exemplo do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Exército Brasileiro, acadêmicos de Medicina da Uncisal e Ufal e do Serviço Alagoano Voluntário de Emergência (Salve).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui