Crédito: Reprodução

Fonte: MSA Safety

Capacitados para combater incêndios, prestar assistência de emergência nos cenários mais adversos e realizar intervenções operacionais de salvamento em acidentes ou situações de risco, os bombeiros, sejam eles voluntários, industriais ou militares, têm a missão de salvar vidas. E por estarem expostos aos mais diversos riscos, a prevenção dos acidentes – seja em resgate ou combate a incêndio – necessita atenção desses profissionais. 

Por esse motivo, a MSA Safety, empresa líder em equipamentos de segurança e de combate a incêndio, realizou no dia 22 de julho o 1º Congresso Internacional de Bombeiros Latino-Americanos, que reuniu milhares de profissionais da área para o acompanhamento de cases de ocorrências e experiência dos palestrantes em resgate e combate a incêndio.

Crédito: Reprodução

Na ocasião, os palestrantes de destacada atuação na área de Bombeiros da Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, México e Peru apresentaram informações valiosas para os heróis, como são vistos por muitos, correrem menos riscos na atuação em emergências. Vez ou outra um desastre chama atenção ao assunto, como o exposto pelo comandante do 6º Grupamento do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo, Tenente Coronel Maurício Biloti Machado Cunha, o qual relembrou os dois militares que morreram soterrados durante tentativa de resgatar um bebê, em março de 2020, no Morro do Macaco Molhado, no Guarujá, na Baixada Santista. “Neste sentido, as inovações tecnológicas, seja nos escombros, nos deslizamentos ou no meio do incêndio constituem-se como verdadeiras aliadas do nosso trabalho, auxiliando e facilitando a atuação de cada profissional”, disse.

Outra atração do evento ficou por conta da palestra do Coronel BM Erlon Dias do Nascimento Botelho, de Minas Gerais, que expôs o passo a passo da operação Brumadinho, a maior em termos de busca realizada no Brasil, visto que houve o rompimento de 2 milhões de m³ de rejeito de minério sobre uma área de, aproximadamente, 290 hectares. O rompimento da barragem ocasionou a morte de 270 pessoas, sendo que 259 foram localizadas nas buscas e identificadas por perícia e outras 11 continuam desaparecidas até hoje. “Desde o início, a operação contou diuturnamente com o empenho dos Bombeiros Militares de Minas Gerais, sendo que até o fim do mês de março de 2021 foi contabilizado que 3.913 militares da Corporação já atuaram, em revezamento, em atividades de campo, coordenação e de saúde. Suspensas desde 17 de março, por causa da pandemia da Covid-19, a operação foi retomada no dia 12 de maio”.

Por sua vez, o gerente de relacionamento estratégico para  o segmento de Bombeiros da MSA, Dave Volk, palestrou sobre “Os Bombeiros do Futuro”: “Sabemos que é uma profissão perigosa e nosso trabalho é fazer com que ela seja mais segura. É preciso salientar que os incêndios estão cada vez mais frequentes; devido ao hábito de vida da população, o fogo queima mais rapidamente, os materiais do passado queimavam mais vagarosamente que os materiais utilizados hoje e os bombeiros têm que fazer mais com menos tempo, equipamento e pessoas”.

Um dos destaques vai para a Máscara Autônoma G1, que compõe a plataforma ‘Bombeiros do Futuro’, a partir do qual equipamentos de proteção disponibilizam informações em nuvem. Isso permite o acompanhamento remoto e em tempo real do que está acontecendo, assim como o acesso a dados como pressão de ar, alarmes disparados, vazamento de gases, etc, para que medidas de segurança, como o evacuamento do ambiente, sejam tomadas. 

Crédito: Reprodução

Está previsto, ainda, o lançamento, para os próximos meses, de um produto revolucionário – o Lunar – que recebe informações da Máscara Autônoma G1 e transmite dados para uma nuvem, sem fio, com uma conectividade nunca vista antes.

O Lunar, é um dispositivo móvel, sem fio, voltado para busca e resgate, sendo o único no mercado. Conectado a Máscara Autônoma G1, ele funciona como uma câmara de imagem térmica e tem um sistema de busca e resgate que ajuda os bombeiros a localizar outros bombeiros em situações de perigo.

Além dos palestrantes mencionados, o evento contou com as apresentações de casos e experiências do Chefe do Departamento de Incêndios Industriais da Federação Bonaerence de Buenos Aires, na Argentina, Fabian Fernandez; do instrutor da Academia Nacional de Bombeiros do Chile, Rodrigo Lara; do Coordenador de Proteção Civil, Segurança e Higiene, no México, Enrique Garcia Mendoza; do Comandante do Corpo de Bombeiros Pompaýan, na Colômbia, Juan Carlos Gañan; e do Comandante do Corpo Geral de Bombeiros Voluntários do Peru, Carlos Lembcke.

O evento contou com o apoio da Ligabom (Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil), Comando do Corpo de Bombeiros de São Paulo, Comando do Corpo de Bombeiro de Minas Gerais, Fundabom (Fundação de Apoio ao Corpo de Bombeiros) e OBA (Organização dos Bombeiros Americanos).

Para ver o 1º Congresso Internacional de Bomberos Latino-Americanos, basta acessar abaixo:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui