A preparação das equipes de atendimento e dos membros das comunidades para uma adequada ação/reação em caso de desastres tecnológicos e/ou naturais é de suma importância para a salvaguarda das pessoas, bem como para a mitigação dos impactos e consequências destes eventos. Segundo estudos, menos de 15% das pessoas afetadas num evento emergencial conseguem manter a calma e tomar decisões adequadas para salvar suas vidas. Especialistas afirmam que na maioria das ocorrências não são necessárias habilidades especiais, e sim, saber quais ações devem ser tomadas. A seguir algumas orientações de evacuação em caso de emergências.

Condutas básicas para membros das comunidades afetadas

  • Comunicar o evento natural e/ou emergência para os que estiverem na zona possível de ser atingida;
  • Manter a calma e acalmar os outros. Se notar que alguém está ficando nervoso ou descontrolado tente acalmá-lo. Estas pessoas podem representar um perigo a mais nestes momentos;
  • Ao ouvir alarmes de emergência, ou ordem de evacuação, seguir as orientações para que o abandono ocorra de forma segura e rápida;
  • Afaste-se de maneira ordenada das zonas primárias (eventos naturais) e das zonas morna e quente (emergências tecnológicas);
  • Se presenciar um princípio de deslizamento ou inundação, avise imediatamente a Defesa Civil do seu Município e o Corpo de Bombeiros, bem como o máximo de pessoas que residem na área do deslizamento.

Em caso de incêndios

  • Em incêndios em locais habitados, principalmente em prédios comerciais ou ambientes amplos como galpões de armazenamento, acione os alarmes imediatamente, uma vez que podem existir pessoas que não saibam da ocorrência;
  • Ao sair destes locais feche portas e janelas sem trancá-las;
  • Desligue equipamentos elétricos, minimizando o risco de novos focos de incêndio;
  • Sua saúde e segurança valem mais que qualquer objeto que ficou no local sinistrado, por isto nunca volte para buscar nada;
  • Se estiver em prédios elevados, não use elevadores;
  • Diante de um incêndio não tire sua roupa, pois, ela servirá como barreira para o calor, reduzindo o risco de desidratação;
  • Caso seja necessário abrir portas, verifique se não há fumaça saindo dela ou se não está quente e abra a porta com cautela;
  • Se houver presença de fumaça ou outro contaminante, cubra o nariz com um pano. Se o local já estiver totalmente coberto por fumaça, abaixe-se e saia rastejando do local de maneira ágil e cuidadosa;
  • Entre em contato com alguém que esteja fora da zona de desastre e mantenha a pessoa informada sobre o trajeto seguro a ser seguido;
  • Caso ocorra um evento para o qual você não esteja preparado de forma antecipada procure um lugar seguro no qual possa se refugiar durante o ápice do evento. Isto pode variar de acordo com o tipo de desastre.

Fonte: Marco Aurélio Rocha – Pós-graduado em Gestão de Emergências e Desastres, em Segurança e Higiene Ocupacional e em Segurança contra Incêndio e Pânico. Especialista em Toxicologia Geral.

Arte: Beto Soares/Estúdio Boom