Os rios e seu entorno são áreas de lazer excelentes. Várias regiões são visitadas por banhistas, esportistas, campistas e praticantes de trekking, principalmente no verão. As regiões de serra são as mais procuradas pois possuem inúmeros atrativos e muita beleza. As pessoas buscam poços cercados por vegetação, com pequenas ou grandes quedas d’água, se instalando em um ponto acessível de um cânion. Os cânions são desfiladeiros escavados pela água que iniciam no alto da serra e quase sempre criam cascatas e paredes íngremes e muito altas. Podem possuir afluentes menores ou de igual tamanho e, geralmente, desaguam em rios maiores, até chegar ao mar. A seguir, dicas de prevenção nestes lugares:

Primeiros indícios de crescidas

  • Aumento do caudal. Um artifício bastante simples é utilizar uma pedra como referência: se a água subir ou encobrir esta pedra, saia imediatamente do rio;
  • Aparecimento de sedimentos na superfície: ao observar pequenas folhas, galhos e mudança na coloração da água (cor achocolatada), saia imediatamente do rio;
  • Atenção para as nuvens: fique atento para as nuvens negras e enormes (cumulonimbus) ou para aquelas mais baixas e escuras também (stratos). Geralmente estas nuvens estarão na serra, no início do cânion, longe do trecho que você está se divertindo. Ao observá-las, saia do rio imediatamente, pois no intervalo de 5 a 15 minutos o clima pode se tornar um caos;
  • Saturação do solo: chuvas anteriores podem ter deixado o solo saturado e, neste caso, basta uma precipitação de menor proporção para acontecer uma crescida. Pergunte aos moradores da região sobre as chuvas anteriores.

Dicas para banhistas

  • É fundamental conhecimento básico de Meteorologia. As previsões meteorológicas possuem uma confiabilidade muito grande e este conhecimento será importante para programar seu lazer. Consulte a meteorologia antes e até mesmo durante sua atividade;
  • Antes de efetuar qualquer salto (mesmo em lugares conhecidos) sem visibilidade no fundo, não salte, primeiro verifique o local;
  • Crescidas: conhecidas no Brasil por cabeças d’água, enchentes, etc. São ocasionadas pelas chuvas de verão, aquelas que aumentam abruptamente o caudal (nível) do rio. Estas precipitações ocorrem durante um dia quente, com enorme evaporação da região, geralmente após as 14 horas. Cabe ressaltar que é possível que elas também ocorram em outros horários, até mesmo durante a madrugada.

Dicas para campistas

  • Nunca acampe perto das margens: em crescidas a água transborda para fora do leito, procurando caminhos mais baixos (ação da gravidade). Acampe pelo menos à 60 metros longe do leito (além da segurança você contribui para a preservação da região), escolha lugares mais altos que o leito e afaste-se de possíveis afluentes.

Dicas para proprietários

  • Realize marcações nas pedras ou instale uma régua para determinar o nível do rio (normal, com atenção ou crítico);
  • Instale um pluviômetro nas proximidades para fazer a aferição diária das precipitações. Isto determina o regime das precipitações e a saturação do solo;
  • Consulte a previsão meteorológica antes de liberar o acesso.

Fonte: Luiz Lo Sardo Neto, instrutor de Canionismo do GBCan – Grupo Brasileiro de Canionismo.

Arte: Beto Soares/Estúdio Boom