Ilustração: Beto Soares/Estúdio Boom

Como indivíduos, nos organizamos em sociedade por meio da interação social. Portanto, diante da pandemia, durante períodos de isolamento o mal-estar psicológico pode se instalar, gerando sintomas e fragilizando nossa capacidade de adaptação e reação ao estresse imposto pelo distanciamento social, produzindo respostas fisiológicas e emocionais que podem impactar nosso sistema imunológico e a condição de equilíbrio mental para enfrentamento de situações adversas. Seguem algumas reflexões e possibilidades de autocuidado que podem contribuir para diminuição da ansiedade e da sobrecarga mental, bem como para promover alívio e bem-estar:

  • Procure agir de modo planejado, com esforço, persistência e determinação;
  • Busque informações confiáveis e baseadas em evidências para aumentar a situação de controle e competência;
  • Evite ficar o dia todo checando as mídias sociais ou lendo os jornais e ouvindo notícias para não haver sobrecarga de informações. Fazer isto pode te deixar mais estressado e ansioso, por isto é importante delimitar um momento e horário específico para isto;
  • Preencha seu tempo com informações otimistas e atividades prazerosas: busque um ambiente tranquilo, ou algo que te dê conforto para se sentir mais capaz de realizar as tarefas;
  • Planeje atividades para o dia que não sobrecarreguem seu corpo e mente;
  • Separe horários para trabalho, lazer e interação familiar;
  • Inclua na sua rotina ações de autocuidado: exercício físico, meditação ou relaxamento, uma alimentação saudável, incluindo frutas e verduras. Beba uma quantidade adequada de água diariamente;
  • Faça uma lista das tarefas por ordem de prioridade e procure resolvê-las uma a uma. Pode ser necessário dizer “não” para algumas demandas não urgentes em algum momento;
  • Uma boa dica para manter o foco é estabelecer pequenas recompensas após a finalização de cada tarefa, como assistir a um episódio de sua série favorita ou ficar alguns minutos com seu animal de estimação;
  • Se você está preocupado com sua situação financeira, uma boa dica é organizar uma tabela com seus ganhos e gastos. Estabeleça que gastos são essenciais e quais podem ser cortados;
  • Sentir que você pode contar com outras pessoas e que pode apoiá-las é algo que pode contribuir para a melhora do estado emocional. Emoções positivas têm efeito protetor contra doenças físicas e mentais. Compartilhar emoções com pais, cônjuges, filhos, amigos e colegas, mesmo que on-line, preenche e fortalece nossa necessidade de nos sentir amado pelos outros e de nos sentir importante na vida dos outros;
  • Lembre-se que de que assim como os momentos bons que você já viveu, os ruins e difíceis não duram para sempre;
  • E se você percebe que não está dando conta das atividades cotidianas devido a sentimentos negativos (ansiedade, pânico, tristeza, raiva), busque apoio especializado (psicólogos e psiquiatras).

Fonte: Daniela Lopes – Psicóloga, Diretora da ABRRD e Tenente-Coronel Reserva do CBMDF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui