Crédito: Divulgação/SPA

O nitrato de amônio, substância que possivelmente causou uma explosão na região portuária em Beirute, capital do Líbano, também está presente em grandes quantidades em armazéns no Porto de Santos, o maior da América Latina. A substância é um dos principais fertilizantes utilizados na agricultura. Somente em 2019, o cais santista recebeu 5,5 milhões de toneladas de fertilizantes. O acidente no Líbano voltou a chamar a atenção quanto a armazenagem, controle e manipulação de substâncias químicas nos portos brasileiros.

Saiba mais no site da Proteção+.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui