Mayke Toscano/SECOM-MT
Data: 12/09/2019 / Fonte: Redação Revista Emergência

Todos os anos, em determinadas épocas, algumas regiões do país sofrem com queimadas e incêndios florestais. Entretanto, neste ano, segundo dados divulgados pelo Programa Queimadas, do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), o número de ocorrências no Brasil aumentou 82% em relação ao mesmo período de 2018. De janeiro a agosto de 2019 foram registrados 71.497 focos de calor, contra 39.194 no ano passado. A região da Amazônia é a mais afetada. Até o fechamento desta edição, sete estados (AC, AM, MT, PA, RO, RR e TO) haviam solicitado apoio federal nas operações de combate a incêndio. 

No Mato Grosso, um dos estados mais afetados, em apenas um dia foram registrados cerca de 722 focos de calor. De acordo com o coronel Paulo André da Silva Barroso, Secretário Executivo do Comitê Estadual de Gestão do Fogo, da Secretaria de Estado do Meio Ambiente, uma das maiores dificuldades é a limitação de recursos materiais e humanos para atender toda a demanda. “Quanto mais tempo levamos para começar o combate, mais tempo demoramos para apagar o fogo por completo”, complementa o coronel. Segundo Barroso, somando todas as agências envolvidas nas ações de combate, o Estado conta com 87 veículos, dois aviões, um helicóptero e 1.327 combatentes (entre civis e militares), atuando na operação.  

Confira a matéria completa na edição de setembro da Revista Emergência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui