Crédito: Suti Stock Photo/Shutterstock

Especialistas analisam o projeto e os elementos de segurança dos edifícios-garagem para lidar com o risco de incêndio que os veículos modernos apresentam

Como muitos outros centros industriais antigos, os canais ao longo do Rio Mersey, em Liverpool, na Inglaterra, sofreram uma transformação drástica nas últimas décadas. Onde antigamente os estivadores passavam atarefados entre as chaminés movimentando a carga entre os navios e os armazéns de tijolo vermelho, hoje a beira do rio se anima com o movimento dos turistas e dos habitantes abastados, atraídos pelo número crescente de restaurantes da moda, locais de entretenimento e hotéis de luxo.

King’s Dock, talvez o mais turístico dos bairros marginalizados à beira do rio, estava cheio de visitantes na tarde da virada do ano de 2017. Além das atividades usuais antecipando a celebração da noite, milhares de pessoas tinham vindo a King’s Dock para assistir ao popular show internacional de cavalos de Liverpool, realizado na Echo Arena, com 11 mil lugares, no coração do bairro. Até às 16h30min, quase todas as vagas do estacionamento com múltiplos andares de King’s Dock, localizado perto da arena, estavam ocupadas por veículos, muitos dos quais caminhonetes grandes e veículos utilitários esportivos, preferidos no mundo das corridas de cavalos. Sue Wright e seu marido Mark se encontravam nos dois últimos veículos que entraram no estacionamento lotado. Quando o casal saiu do carro e se dirigiu para a saída, nem eles nem as centenas de pessoas presentes podiam saber que nunca voltariam a ver os seus veículos intactos.


*Reproduzido com autorização do NFPA Journal Latinoamericano® copyright © 2019, National Fire Protection Association, Quincy, MA. Todos os direitos reservados. www.nfpajla.org. O artigo, de autoria de Jesse Roman, foi publicado originalmente no NFPA Journal Latinoamericano, na edição de junho de 2019, páginas 22 a 29.


Confira o artigo completo na edição de maio/junho da Revista Emergência.