Crédito: Arquivo do autor

A técnica de retirada de vítimas de ataques de abelhas e a nova utilização do Líquido Gerador de Espuma no manejo das vespas

O lema dos Bombeiros é “vidas a­lheias e riquezas salvar”. Partindo desse princípio, o salvamento das vidas humanas sempre será sobreposto a qualquer outra forma de vida. Porém, quando houver a possibilidade, importa que haja a conciliação entre vida humana e a preservação ambiental. Fazendo-se necessária, portanto, a conscientização entomológica, para tornar pública a importância dos pequenos insetos, porém indispensáveis seres vivos que fazem parte da riqueza da fauna, necessária à vida humana. A conscientização entomológica vai elucidar que há várias espécies de famílias Vespidae (vespas e maribondos) e de famílias Apidae (abelhas), que apesar de algumas semelhanças, pertencem a famílias diferentes, com comportamentos diferentes, exigindo assim, uma abordagem e procedimentos diferentes para cada família.

Vale ressaltar a grande importância desses insetos, começando pelo marimbondo da espécie Polybia paulista Ihering, 1896, chamada paulistinha, que faz parte exclusivamente da riqueza da fauna brasileira, pois em uma pesquisa realizada pela cientista Natália Bueno Leite Slade e colaboradores, foi descoberto que o veneno dela tem uma toxina poderosa chamada de peptídeo ou MP1, que é capaz de matar as células cancerígenas sem danificar as células saudáveis, citam N.B. Leite et al.  O estudo foi publicado, na revista científica Biophysical Journal. E justamente esta espécie que apresenta o maior número de registros de chamadas no “combate” a insetos, pelo Corpo de Bombeiros.


Dados dos autores:

Sérgio Luíz Gonçalves Pacheco – Subtenente do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, pós-graduado em Biologia Forense pela Universidade Castelo Branco, Título de Especialista em Perícia Forense Ambiental, Apicultura e Meliponicultura pelo Conselho Federal de Biologia, Licenciado em Biologia Feuduc, técnico em Zootecnia pelo Instituto Federal Campus Rio Pomba.

[email protected]

Stefan Félix Vilar Pacheco – Cabo do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro, Licenciado em Letras e Inglês pela Unigranrio e Pós-graduado em Tradução em Inglês pela Estácio de Sá.

[email protected]

Thiago Blanc Celino – Bacharel em Biologia pela Universidade Castelo Branco, Mestre em Ciências pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

[email protected]

Este artigo foi originalmente publicado no Capítulo 35 do livro Tópicos Especiais em Ciências da Saúde: teoria, métodos e práticas, da Aya Editora (DOI: 10.47573/aya.5379.2.67.35), páginas 425 a 440

Confira o artigo completo na edição de maio/julho da Revista Emergência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui