Qual é a realidade brasileira de incêndios? Como comparar os dados (não) coletados?

Inserido nas apresentações do III SENABOM (1992), oficiais do Departamento de Operações do Corpo de Bombeiros de São Paulo apresentaram estudos objetivando a coleta e tabulação de dados de incêndios.

Quem possui exemplar dos Anais desse Seminário vai encontrar o texto da proposta entre as páginas 303 e 336, sob o título “Sistema Nacional Padronizado de Coleta e Tabulação de Dados”.

Fruto de pesquisa junto a todos os estados brasileiros mais modelos do exterior, apresentaram sugestões de relatórios e uma classificação de ocorrências partilhada com o policiamento, pois a maioria das cidades brasileiras não possui serviços de bombeiros, tendo seus incêndios registrados como ocorrência policial.

Ainda nos anos 90 a Prof. Dra. Rosaria Ono produziu trabalho acadêmico sobre o tema e foi gerada em 1997 a NBR 14023 sobre Registro de Atividades de Bombeiro.

O projeto Brasil Sem Chamas, inspirado no “America Burning Report”, desenvolvido com financiamento da FINEP e com relatório final publicado há mais de década, aponta a necessidade de coleta e tabulação de dados de incêndio para que conheçamos nossa realidade.

Recente reunião da Frente Parlamentar Mista de Segurança Contra Incêndio (29/09/2020) volta ao tema destacando essa necessidade, apontada e sugerida há quase 30 anos.

Hoje, os únicos dados acessáveis, em excelente trabalho do Instituto de Sprinkler Brasil (https://sprinklerbrasil.org.br/) , são aqueles por ele disponibilizados e referem-se aos incêndio publicados pela Imprensa.

Muito bem, não temos dados Nacionais! Mas e deste ou daquele estado, desta ou daquela cidade? Qual a realidades da cidade de São Paulo? De Salvador? Quem se interessou em saber? São comparáveis ou não?

Até que saibamos a resposta continuaremos como navegantes velejando sem bússola! Que as estrelas nos guiem!


O blog Falando de SCI (Segurança Contra Incêndios) trata dos incêndios e seus impactos na sociedade e de fundamentos e aspectos da regulamentação de segurança contra incêndio em geral. Seu autor é Walter Negrisolo, oficial da RR (reserva remunerada) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo; Mestre em Arquitetura e Urbanismo e Doutor em SCI.
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui