Incêndio na Central Telefônica de Nova Iorque

No artigo precedente afirmei que, segundo Layman, para evitar perda de vidas, isto é, na fase tática de ”salvamento”, quem responde a um incêndio pode aumentar as perdas materiais e os prejuízos, desde que isso poupe vidas ou ferimentos em pessoas.

Um dos grandes exemplos dessa afirmativa ocorreu na resposta ao incêndio numa central telefônica em Nova Iorque, uma edificação de onze pavimentos (204 Second Avenue and Thirteenth Street in the East Village of ManhattanNew York City ) ocorrido na madrugada de 27 de fevereiro de 1975.

Esse incêndio, que se iniciou às 00:15 h e teve o despacho de socorro registrado às 00:25 h, reportou duas notificações como controlado: às 03:40 h e, após ocorrer a reignição, às 04:46 h.

Para iniciar o combate ao incêndio, pela dificuldade de penetração na edificação, o Corpo de Bombeiros teve retardado seu ataque externo em 30 minutos, pois não havia a certeza da saída de dois funcionários.

Um ataque externo, direto ou indireto (discorreremos no próximo texto sobre ataque indireto), somente pode ser efetuado após a certeza de que não mais existam pessoas dentro da edificação, pois os jatos de água, além de impedir a saída do calor e da fumaça, ainda os direcionam para o interior, vitimando as pessoas que estejam na parte interna.

Como resultado, houve perda total nos equipamentos e cabeamento necessários à prestação dos serviços, e danos à edificação (que não desabou), ainda ocasionando colapso imediato em linhas telefônicas de 175000 clientes, impactando três hospitais, três postos policiais e duas universidades.

Para evitar perda de vidas, os danos diretos e indiretos foram enormes, minorados pela rápida recuperação da Central e das comunicações, ocorrido em 28 dias, o que ficou conhecido como “O Milagre da Segunda Avenida”. Mas mostrou que o princípio de que salvar exige prioridade total, independentemente dos prejuízos possíveis aos bens e serviços, foi e deve ser sempre respeitado.


O blog Falando de SCI (Segurança Contra Incêndios) trata dos incêndios e seus impactos na sociedade e de fundamentos e aspectos da regulamentação de segurança contra incêndio em geral. Seu autor é Walter Negrisolo, oficial da RR (reserva remunerada) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo; Mestre em Arquitetura e Urbanismo e Doutor em SCI.
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui