Frequência de manutenção e cuidados com o sistema de sprinklers

Os sprinklers são reconhecidos por serem altamente eficientes no combate a incêndios. Sua utilização é indispensável para a proteção humana e material, uma vez que os dispositivos são capazes de controlar as chamas até a chegada do corpo de bombeiros, inibir a formação de fumaça tóxica, permitir uma evacuação das pessoas da área sinistrada de forma mais segura. Além disso, os sprinklers apagam o fogo em caso de pequenos focos. No entanto, para que o sistema de sprinklers cumpra com o seu papel e tenha um bom funcionamento, é necessário ter atenção a alguns cuidados e estabelecer uma frequência de manutenção para garantir que haja um pleno funcionamento quando necessário.

Ao realizar a manutenção, é possível garantir a durabilidade da rede de sprinklers e um desempenho eficiente. Os sprinklers certificados não têm um prazo de validade determinado, porém a norma brasileira ABNT NBR 10897:2020, no item C.4.1, determina uma periodicidade máxima para a execução de testes em amostras retiradas da instalação. Isso dependerá de quais tipos de sprinklers foram utilizados e quais foram os cuidados que o sistema teve em termos de inspeções, testes e manutenções. Por exemplo, há sistemas instalados com mais de 50 anos, totalmente funcionais com os equipamentos e tubulações iniciais.

Como é realizada a manutenção da rede de Sprinklers

Na manutenção da rede de sprinklers, todos os componentes são analisados. Profissionais capacitados e com elevado conhecimento da rede realizam uma perícia criteriosa no bulbo, com o intuito de verificar se a estrutura se romperá a determinada temperatura e acionar o alarme no sprinkler, identificando se está corretamente rosqueado.

Além disso, na manutenção da rede de sprinklers, os profissionais farão uma vistoria na tubulação, nas conexões, roscas e em todos os demais itens da rede, visando que todos estejam funcionando adequadamente. Caso seja identificado um item que não esteja funcionando da maneira correta ou que no futuro possa gerar alguma falha, os técnicos logo sinalizam ao cliente e realizam o reparo ou troca do item.

Para que a manutenção da rede de sprinklers seja realizada de maneira eficiente é necessário contratar um serviço especializado. Assim, profissionais qualificados e com equipamentos específicos realizarão a manutenção do sistema. Além disso, só uma empresa especializada terá os itens de reposição adequados para cada ocasião.

Quanto à limpeza da rede de sprinklers, ela é feita na instalação inicial e a norma NFPA 25 específica como ela deve ser realizada. Não é recomendado limpar os sprinklers com sabão e água, amônia ou qualquer outro fluido de limpeza. Já retirar a poeira utilizando escova macia ou uma suave aspiração é suficiente para garantir a sua higienização.

Também é necessário fazer a troca dos sprinklers que, possivelmente, tenham sinais de corrosão, vazamentos, ou ainda, pintura diferente da original de fábrica e/ou apresentem sinais de torção, quebra ou qualquer outro esforço mecânico. O item 6.1.2.2 da NFPA 13  orienta que sprinklers “recondicionados”, ou seja, retirados de uma instalação, não podem ser reaproveitados em outras instalações existentes ou ainda em novas.

A NFPA 25 também aponta alguns prazos para testes de sprinklers, ou seja, após o período especificado uma amostragem do sistema deve ser testada em laboratório e, se condenada, todos os sprinklers do sistema devem ser substituídos. Em caso da não possibilidade de testar a amostragem requerida, todo o sistema deve ser trocado.

Manual ITM da ABSpk

A ABSPK, ao longo do ano de 2018, desenvolveu durante seis meses, um projeto de inspeção, teste e manutenção em 10 grandes empreendimentos em São Paulo. Eram cinco edifícios comerciais e cinco galpões logísticos. O resultado do projeto foi extremamente insatisfatório. Foi avaliado uma grande necessidade da criação de uma rotina de inspeção, teste e manutenção, devido ao despreparo dos responsáveis pela manutenção do sistema.

Desta forma, foi criado o Manual de Inspeção, Teste e Manutenção, lançado em rede nacional no dia 8 de maio de 2021, com o intuito de distribuí-lo para diversos setores empresariais, para que os empreendimentos possam estar minimamente seguros. O manual foi desenvolvido com base na N.F.P.A 25 e anexos da IT-23.

A NFPA 25 (Standard for the Inspection, Testing and Maintenance of Water-based Fire Protection Systems) é a base para a norma nacional (ABNT NBR) em desenvolvimento, que traz inúmeros procedimentos a serem avaliados para cada tipo de instalação e usados para a construção de um procedimento padrão adequado para as características do sistema.

O objetivo principal deste manual é informar aos interessados e responsáveis (proprietários, administradores e inquilinos) quais são as medidas mínimas de ITM de um sistema de sprinklers, para que, em caso de incêndio, o sistema funcione adequadamente.

Sobre a ABSpk

A Associação Brasileira de Sprinklers, fundada no início de 2011, nasceu com o objetivo principal de fomentar o uso de sprinklers no mercado nacional. Sua função é promover discussões, bem como implementar ações, para que todo sistema de sprinkler, projetado, instalado e mantido, no Brasil, seja tratado de maneira técnica, profissional e ética.


Promover a discussão, bem como implementar ações, no intuito de que todo sistema de sprinkler, projetado, instalado e mantido, no Brasil, seja tratado de maneira técnica, profissional e ética, uma vez que riscos à vida e ao patrimônio estão diretamente relacionados à correta implementação de equipamentos nos diversos tipos de empreendimentos e finalidades/uso da área protegida. O blog assinado por Felipe Melo, eletricista formado pela FEI, com MBA em Gestão de Projetos pela FIAP e Gestão Empresarial pela FIA e presidente da Associação Brasileira de Sprinklers (ABSpk), explica os casos e mostra como sistemas de proteção agem em episódios de incêndio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui