Estratégias cruciais e 100% eficazes para uma boa Regulação Médica

A prática de uma boa regulação médica, principalmente nas situações de urgência requer algumas habilidades que deverão ser desenvolvidas ao longo desta jornada pelo médico regulador. Primeiramente entendendo que se trata de uma atividade institucional, portanto, qualquer que seja a forma como uma demanda venha a ser solicitado, não é nada pessoal, não é nada com você enquanto indivíduo. Para tanto aqui vão alguns apontamentos importantes para a prática de uma regulação menos desgastante.

Inicie o plantão após ter tido uma boa noite de sono e descanso. Para Médicos isto parece ser impossível, mas se trata de uma questão de escolha, para se ter um pouco mais de qualidade de vida. Inicie o plantão ciente de que você será a esperança de muitos que estão nos momentos mais difíceis de suas vidas e que nem sempre e nem todos conseguem lidar com o inesperado ou com uma quebra abrupta da rotina de suas vidas.

Esta atividade, de regular, exige uma habilidade incondicional: Comunicação eficaz. Parecer ser obvio, mas a comunicação é um dos maiores problemas nas relações interpessoais na atualidade. Comunique com clareza, você é o emissor de uma informação, e esta deve chegar ao receptor (no caso o solicitante) com o máximo de nitidez. E devemos contornar os “ruídos” que interferirão neste canal de comunicação, em geral os aspectos emocionais do momento é um deles.

Coloque se no lugar do outro. Quando você faz isso, consegue medir e enxergar o porque de vários comportamentos do solicitante, principalmente numa negativa de uma demanda. Entenda que o nível de entendimento do funcionamento de um serviço não é o mesmo do seu para os demais, principalmente leigos não oriundos da saúde. Vale lembrar que muitas vezes nem os profissionais oriundos da saúde tem o entendimento correto do funcionamento de um serviço.

Você esta numa posição de tomada de decisão e amparada legalmente. Autoridade Sanitária. E esta decisão deve estar embasada na universalidade, integralidade e principalmente na equidade. O momento “urgência e emergência” são os momentos onde você dever os mais equânime possível. O melhor recurso, mais rápido possível, para o que mais necessitar naquele momento.

E para finalizar estas estratégias, lembrando que a soma do pontos acima apontados mais o conhecimento técnico específico da urgência e emergência e as nuances das legislações vigentes farão com que você faça uma ótima regulação das urgências. Portanto, sempre estar atualizando seus conhecimentos é fundamental e primordial para o benefício do paciente. Você exerce o papel de “advogado” do paciente. Pense sempre na necessidade do paciente e você nunca estará equivocado.

Para enriquecer este blog, conto com você, continue participando e envie dúvidas e sugestões. E faremos um saudável debate. Um forte abraço.


O blog Regulação Médica de A a Z trata das grandes dúvidas sobre regulação médica das Centrais de Regulação de Urgência, que permeiam os Médicos Reguladores no dia a dia. Para tomada de decisões mais adequadas. O autor do blog é Antonio Onimaru, Médico com Residência Médica em Urgência e Emergência pela FAMEMA e Universidade de Grenoble – FR; Médico do Sistema Resgate – GRAU – SP; Coordenador Médico do Samu Regional Assis – SP.
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui