Ataque indireto ao incêndio: o avanço técnico praticamente desconhecido no Brasil

Considerado revolucionário quando foi apresentado por Lloyd Layman, em 1950, com o titulo “Pequenas Gotas d’Água”, o ataque indireto mostrou que a aplicação da água com o jato em neblina, não diretamente sobre o fogo, mas de forma indireta, no teto das edificações, é extremamente eficaz. Essa técnica ainda não encontra eco em nossos Corpos de Bombeiros.

(A mesma apresentação provocou expressivas alterações no desenho dos chuveiros automáticos).

No que consiste o “ataque indireto” proposto por Layman? Por que revolucionou? Basicamente no aproveitamento da capacidade das gotas de água em absorverem o calor e se vaporizarem, estabilizando o ambiente incendiado pela expulsão do calor e da fumaça, permitindo acesso direto ao(s) foco(s) de incêndio.

O ataque indireto não pode ser usado quando há pessoas dentro do ambiente construído, mesmo que as pessoas estejam em ambientes adjacentes, se houver comunicação entre eles, mas controla incêndios de pequeno porte com 20 a 30 segundos de aplicação de água em forma de neblina, permitindo penetrar no ambiente para o ataque e extinção final.

Há parâmetros de cálculo da vazão necessária dos jatos de água, que dependerá do volume do ambiente, após o que a aplicação é interrompida para proporcionar a penetração e extinção final.

Para termos uma ideia de sua utilidade em edificações de pequeno porte, por exemplo, um salão comercial com 10 m de largura, 24 de comprimento e 3 de altura, teria o incêndio contido com a aplicação simultânea de 3 linhas de 1 ½ polegadas (por 30 segundos). Isso representaria o uso de somente 540 litros de água.

O Manual de Fundamentos de Bombeiros, do Corpo de Bombeiros de São Paulo, desde sua primeira edição, em 1998, no capítulo Técnicas de Extinção de Incêndio, descortina essa técnica. Talvez se possa começar a seguir o Manual.


O blog Falando de SCI (Segurança Contra Incêndios) trata dos incêndios e seus impactos na sociedade e de fundamentos e aspectos da regulamentação de segurança contra incêndio em geral. Seu autor é Walter Negrisolo, oficial da RR (reserva remunerada) do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar de São Paulo; Mestre em Arquitetura e Urbanismo e Doutor em SCI.
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui